Autismo em adultos

Autistas e neurotípicos: como melhorar a comunicação?

Foto do author Gabriela Bandeira

Gabriela Bandeira

16 de dezembro de 2021

A comunicação entre neurotípicos e atípicos pode ser prejudicada devido a dificuldades de compreensão e ruídos de ambas as partes. No entanto, essa interação é necessária e pode ocorrer sem nenhum problema.

Existem atitudes e ações de pessoas neurotípicas que podem incomodar quem está no espectro e vice-versa. Neste artigo explicamos mais sobre o assunto e trazemos algumas orientações para que esse contato seja mais efetivo entre eles.

O que são pessoas neurotípicas e neurodivergentes?

Pessoas neurotípicas são chamadas assim porque entende-se que elas não têm nenhum transtorno do desenvolvimento diagnosticado. Ou seja, não tiveram nenhum prejuízo durante o desenvolvimento em algumas áreas como: linguagem, marcha, aspectos sensoriais, cognitivos, dentre outras

Em seu sentido literal, a palavra “neurotípico” significa “neurologicamente típico”. Isto é, sem prejuízos neurológicos. Diferente do que acontece com pessoas autistas, que podem apresentar dificuldades na interação e comunicação social, além de ter padrões de comportamentos restritos e repetitivos.

As pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) podem também ser chamadas de neurodivergentes. A palavra é derivada do termo “neurodiversidade”, e movimentos ligados a esse conceito têm como principal objetivo reconhecer e respeitar as diferenças neurológicas que fazem parte da vida de muitas pessoas.

Além de autistas, pessoas com dispraxia, dislexia, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), síndrome de Tourette, entre outras, também podem ser consideradas pessoas neurodivergentes.

Quais as dificuldades que autistas podem ter em se comunicar com neurotípicos?

Como as dificuldades de interação e comunicação social são algumas das principais características em pessoas com autismo, o ato de conversar e se comunicar com elas pode ser prejudicado por algumas dificuldades. Veja as mais comuns:

  • Dificuldade da pessoa autista em olhar nos olhos;
  • Dificuldade em entender figuras de linguagem, como as metáforas;
  • Medo de ofender a pessoa neurotípica com alguma fala;
  • Dificuldade em falar de temas que não são de seu interesse;
  • Medo de falar por muito tempo sobre os assuntos que são seu hiperfoco;
  • Entre outros.

Vale ressaltar que nem todas as pessoas autistas sentem essas dificuldades. Algumas podem apresentar outras questões diferentes que atrapalham a sua comunicação. Além disso, as pessoas neurotípicas também têm dificuldades em conversar com pessoas no espectro. Veremos isso a seguir.

Quais são as dificuldades de neurotípicos em se comunicar com autistas?

Pessoas neurotípicas muitas vezes podem se sentir desconfortáveis e com dificuldade em ter que conversar com pessoas autistas. Algumas das dificuldades mais relatadas são:

  • Não saber o que fazer e como agir;
  • Medo em magoar ou fazer algo que a pessoa autista repudia.

Muitas dessas coisas acontecem porque neurotípicos tendem a associar a pessoa autista a estereótipos  já vistos na TV e no cinema, por exemplo.

Quando isso acontece, é possível que ela inicie o contato com a percepção de que a pessoa autista é exatamente igual ao personagem de Rain Man ou o Sam, da série Atypical, por exemplo.

Isso faz com que ela tenha alguns pré-conceitos formados sobre aquela pessoa antes mesmo de a conhecer, e acabe evitando o contato ou tendo uma comunicação superficial, baseada naquela percepção que pode estar equivocada.

A boa notícia é que existem algumas orientações que podem ajudar pessoas neurotípicas a conversar com pessoas autistas. Falaremos delas a seguir.

Como melhorar a comunicação entre autistas e neurotípicos?

Cada pessoa é única, e isso se aplica às pessoas neurotípicas e também às neurodivergentes. Então, não existem regras definidas para a comunicação. Ao contrário disso, o que existem são orientações que podem ajudar durante conversas.

Quando falamos na comunicação entre pessoas autistas e neurotípicas, algumas coisas que podem ajudar são:

  • Cumprimente da forma como a pessoa se sente confortável: não faz mal perguntar se pode abraçá-la ou dar um beijo no rosto, por exemplo. Muitas pessoas com TEA têm hipersensibilidade, e o contato físico pode ser um problema para elas;
  • Pergunte o que não souber: você está tentando aprender, e isso é algo excelente. Por isso, abra o jogo, diga que você não conhece muito sobre o autismo e quer ajuda dela para saber se algo que você faz a incomoda;
  • Evite as figuras de linguagem e frases abstratas: pessoas com autismo podem ter dificuldade em entender esse tipo de linguagem.Por exemplo: se uma grande chuva está a caminho, diga “uma tempestade está por vir” ao invés de “vai chover canivete”, porque ela pode realmente imaginar canivetes caindo do céu;
  • Dê previsibilidade: as mudanças repentinas ou planos sem aviso prévio também podem atrapalhar a rotina e saúde emocional da pessoa autista, então procure informá-la sempre que souber que algo vai acontecer;
  • Evite ambientes com muitos estímulos: a hipersensibilidade também pode fazer com que pessoas autistas não consigam interagir. Então pergunte onde ela prefere ir e evite locais com muitos estímulos visuais, sonoros ou visuais, como o shopping, por exemplo;
  • Não infantilize a pessoa: se você está lidando com uma pessoa adulta, deve compreender que ela entende e quer ser tratada da mesma forma que você. A infantilização da pessoa com deficiência é considerada uma forma de capacitismo.

O ponto principal é que você conheça a pessoa e a trate com respeito e igualdade. Assim, a comunicação entre pessoas autistas e neurotípicas será mais efetiva.

Outro ponto importante é que pessoas neurotípicas podem conhecer mais sobre o autismo, o que vai evitar que sejam preconceituosas e discriminem a pessoa no espectro durante o contato. Veja no nosso blog mais conteúdos que podem te ajudar a entender mais sobre o TEA.

Foto do author Gabriela Bandeira

Escrito por:

Gabriela Bandeira

Qual é a sua relação com a criança autista?*

Está procurando por um conteúdo específico? Clique e veja todos os temas deste artigo!

Clique no tópico que deseja saber mais.