Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
Saúde mental no autismo. Menina sentada em uma cadeira com as pernas encolhidas.

Saúde mental e autismo: o que estamos deixando de lado?

Pouco se fala a respeito da saúde mental de pessoas autistas, muito menos sobre as altas taxas de suicídio associadas. Apesar dos tratamentos baseados em evidências científicas para indivíduos no espectro terem sucesso na melhora do repertório de habilidades sociais e na comunicação, pouco tem se trabalhado para tratar e prevenir que pessoas autistas estejam vulneráveis psicologicamente ou desenvolvam algum transtorno psiquiátrico.

O conteúdo a seguir pretende iniciar o diálogo com pessoas no espectro, profissionais e familiares a respeito da saúde mental no TEA.

Saúde mental e autismo

O risco de suicídio é maior na população autista se compararmos às taxas da população sem esse diagnóstico. De acordo com alguns estudos, as taxas são ainda mais expressivas para as mulheres no espectro.

Um dos fatores que mais influencia esse cenário é a dificuldade dos profissionais de diagnosticar corretamente, já que há confusão entre os sintomas característicos de alguns transtornos psiquiátricos, como depressão, e traços característico do próprio espectro autista. Existem alguns fatores já levantados pela ciência como indicadores de maior risco. Iremos falar a respeito deles a seguir.

Fator de risco

O maior fator de risco associado à saúde mental de indivíduos no espectro é a pressão e expectativa social de que escondam seus traços autistas, como estereotipias (ou stims). Alguns estudos apontam que isso pode aumentar os níveis de ansiedade e diminuir a autoestima, além de estar correlacionado com o surgimento de pensamentos suicidas.

Por que as mulheres autistas estão mais vulneráveis?

Mulheres em geral são as mais afetadas pelos diagnósticos de depressão, ansiedade e transtornos alimentares (comorbidades comuns ao TEA). Aquelas que estão no espectro estão ainda mais  propensas a apresentarem sofrimento psicológico.  Isso porque, o diagnóstico de TEA em meninas e mulheres costuma ser tardio, devido aos critérios diagnósticos serem baseados nas descrições dos sintomas apresentados por meninos.

Além disso, socialmente há uma maior pressão em mulheres para que sejam habilidosas em interações sociais, sendo forçadas desde cedo a se comunicarem e socializarem mais. De fato, as taxas de “camuflagem” de traços autistas aparentam ser maiores em meninas e mulheres do que em meninos e homens, o que faz com que os sinais muitas vezes sejam mais sutis.

Suicídio em pessoas autistas

Alguns pesquisadores têm estudado a saúde mental em pessoas autistas. Um desses estudos é o “Avaliação de comportamentos suicidas entre indivíduos com transtorno do espectro do autismo na Dinamarca”, realizado por Kõlves e colaboradores, em 2021. Em uma amostra significativa da população dinamarquesa, ao longo de dez anos de observação, esses estudiosos perceberam que as taxas de suicídio foram três vezes maiores para indivíduos no espectro autista, em comparação com a população em geral.

Além disso, observou-se que essas taxas eram maiores nas mulheres que estavam no espectro e em pessoas que apresentavam outros diagnósticos psiquiátricos, especialmente ansiedade e transtornos de humor.

Outro dado interessante que o estudo apresenta é o de que as taxas de suicídio aumentam proporcionalmente à idade do diagnóstico. Ou seja, quanto mais tardio o diagnóstico, maior risco de suicídio associado.  Este pode ser o motivo  das mulheres estarem mais vulneráveis e mais um motivo para reforçarmos a importância do diagnóstico ocorrer mais cedo.

Depressão e autismo: como buscar ajuda?

Assim como é necessário que haja uma equipe para avaliar se uma pessoa está no espectro autista, é necessário o trabalho multidisciplinar para avaliar se esse indivíduo apresenta comportamentos, emoções e pensamentos característicos de outros quadros diagnósticos.

Portanto, na dúvida procure um médico psiquiatra e um psicólogo para avaliar se, além do TEA, há algum outro quadro impactando a qualidade de vida e desenvolvimento saudável daquela pessoa. Existem casos, também, de que a pessoa foi diagnosticada com depressão ou outra condição psicológica, mas profissionais não identificaram os sinais de autismo.

Profissional de saúde: como lidar?

Se você é profissional da saúde, sobretudo da área da saúde mental, e tiver dúvidas a respeito de como proceder caso perceba que seu paciente pode estar em sofrimento psicológico, vale a pena seguir algumas das dicas a seguir:

  • Ouça sem julgamentos o relato do seu paciente.
  • Demonstre empatia.
  • Não invalide o que seu paciente diz estar sentindo.
  • Nenhum relato de pensamentos suicidas deve ser entendido como algo irrelevante, sempre deve ser considerado como alvo da intervenção.
  • Caso você não saiba como proceder quando seu paciente relata ter pensamentos suicidas, procure ajuda de um profissional especializado para te orientar ou te supervisionar.

Autismo, saúde mental e sofrimento psicológico

O termo “problema da empatia dupla” cunhado por Damian Milton descreve que as dificuldades de relacionamento entre autistas e não autistas é uma via de mão dupla. Da mesma forma que uma pessoa autista demonstra dificuldades em entender os pontos de vista de pessoas neurotípicas, indivíduos fora do espectro também apresentam essa mesma dificuldade em relação a pessoas atípicas. Apesar disso, o peso e expectativa social de adaptação recai de maneira desproporcional em indivíduos que estão no espectro.

Por isso, a aceitação de pessoas autistas em espaços de trabalho, escolas e outras instituições, não deve depender apenas da mudança daqueles que estão no espectro. A sociedade no geral também precisa oferecer maior flexibilidade e adaptação para que a inclusão seja efetiva. Só dessa forma será possível prevenir essas taxas alarmantes de tentativas e mortes por suicídio nessa população.

Conheça nosso atendimento para autismo

Conteúdos relacionados

Esse artigo foi útil para você?

Dia Nacional do Futebol: inclusão e emoções das pessoas com TEA Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Aprovado Projeto de Lei que obriga SUS aplicar a escala M-CHAT em crianças de 2 anos Dia mundial do Rock: conheça 5 bandas com integrantes autistas Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? Senado: debate público sobre inclusão educacional de pessoas com TEA Emoções no autismo: saiba como as habilidades emocionais funcionam Dia do cinema nacional: conheça a Sessão Azul Por que precisamos do Dia do Orgulho Autista? Conheça o estudo retratos do autismo no Brasil 2023 | Genial Care Dia Mundial do Meio Ambiente: natureza e a interação de crianças TEA Pessoas com TEA tem direito ao Benefício de prestação continuada (BPC)? Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin