Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
menina sentada com as mãos no rosto

Toda Jornada Importa: Fortalecendo a saúde mental na comunidade autista

Setembro Amarelo é o mês de valorização da vida e conscientização sobre a saúde mental. Esse é um tema bastante sensível e delicado quando falamos da comunidade autista, já que temos vários estudos sobre os efeitos do bullying, depressão, ansiedade e outros transtornos, ligados à saúde mental de pessoas no espectro.

Imagine se a palavra “autismo” nunca tivesse sido usada. Você já parou para pensar se a vivência das pessoas autistas seria reconhecida de uma forma diferente?

Neste artigo, vamos entender melhor a importância de oferecer cuidado personalizado e empático, fortalecendo aspectos da saúde mental de pessoas autistas.

A jornada única de cada indivíduo autista

Cada pessoa com autismo trilha um caminho individual e desafiador. Suas jornadas são moldadas por uma série de fatores, como suas habilidades, necessidades e experiências de vida.

Portanto, é fundamental compreender que o cuidado não pode ser de um tamanho ou forma única para todos. Cada pessoa é única e precisa de apoio e suporte que se adeque às suas necessidades, repertório e sentimentos.

Em um estudo feito em 2016 os autores nos convidam a refletir sobre uma pergunta importante: se não usássemos o termo “autista”, será que ouviríamos e apoiaremos essas pessoas de maneira diferente?

Parece que a linguagem desempenha um papel fundamental na forma como abordamos a condição de ser humano, mesmo que para pessoas autistas seja necessário um caminho um pouco diferente para entender suas experiências.

A jornada de saúde mental de pessoas autistas é feita a partir de muito reconhecimento e troca. É no reconhecer que elas têm um lugar único em nossa comunidade, representando não apenas desafios, mas também a singularidade de sua existência.

Esse é um dos estudos que nos faz repensar o que realmente importa quando se trata de entender e apoiar as pessoas autistas. Talvez, ao invés de nos concentrarmos apenas no diagnóstico, possamos nos esforçar para ouvir, compreender e aceitar suas experiências, independentemente das palavras que usamos para descrevê-las.

Entender que fortalecer a saúde mental da comunidade é um convite aberto para uma abordagem mais inclusiva e compassiva.

É preciso olhar para saúde mental da comunidade autista

adulto sentado em um grupo de apoio sobre saúde mental

Nessa jornada, alguns sentimos fazer parte chave, como a empatia, que desempenha um papel essencial no fortalecimento da saúde mental na comunidade autista. Profissionais de saúde, familiares e amigos podem se tornar os pilares de apoio essenciais na vida de uma pessoa com autismo.

Ouvir, entender e respeitar suas necessidades é o primeiro passo para construir uma base sólida de confiança e comunicação.

Precisamos reconhecer que pessoas autistas enfrentam riscos específicos à saúde mental. Questões como o isolamento social, a dificuldade na comunicação e a sensibilidade sensorial podem contribuir para o estresse e a ansiedade.

Além disso, o estigma e a falta de compreensão da sociedade podem tornar a jornada ainda mais desafiadora.

Infelizmente, a comunidade autista enfrenta taxas mais elevadas de tentativas contra a vida em comparação com a população em geral. Estudos demonstram que pessoas no espectro, meninas e mulheres em particular, correm alto risco.

O estudo é o primeiro grande o suficiente para analisar dados de suicídio de autistas por sexo, idade e presença. Entre as pessoas autistas com deficiência intelectual, 1 em cada 13 mulheres tenta suicídio, em comparação com 1 em cada 20 homens.

Essa estatística é alarmante e ressalta a necessidade urgente de um olhar mais próximo, durante a jornada, garantindo maneiras de conversarmos com essas pessoas para que elas entendam que existe a possibilidade de um futuro com mais autonomia, independência e apoio onde quer que forem.

Assim, a valorização da vida começa com a conscientização, o acesso a cuidados de saúde mental e o apoio emocional contínuo, para pessoas autistas, familiares e pessoas cuidadoras nessa jornada.

Como podemos fortalecer a saúde mental na comunidade autista?

duas pessoas dando as mãos em um espaço seguro de troca

As estatísticas são preocupantes, mas precisamos, como sociedade, encontrar caminhos para diminuir esses dados e garantir a vida de todas as pessoas, sejam elas atípicas ou não.

Com isso, apoiar e dar informações verdadeiras para todos, é uma maneira de propagarmos conscientização e empatia, gerando reconhecimento do que precisa ser feito e transformado.

Algumas ações são:

  • Educação e conscientização: Devemos continuar a educar a sociedade sobre o autismo, desmistificando estereótipos e promovendo a aceitação;
  • Apoio profissional especializado: Profissionais de saúde mental especializados em autismo desempenham um papel fundamental no tratamento e no suporte emocional, não somente de crianças, mas de adolescentes e adultos no espectro.
  • Comunidade de apoio: Criar redes de apoio locais e online para familiares e pessoas autistas pode fornecer um senso de pertencimento e suporte mútuo, ampliando espaços de comunicação e troca positiva;
  • Inclusão social: Promover ambientes inclusivos em escolas, locais de trabalho e comunidades é essencial para o bem-estar dos autistas e garantir que eles estejam presentes sempre;
  • Escuta ativa: Ouvir atentamente as necessidades e preocupações das pessoas autistas é a base para oferecer apoio significativo.

Conclusão

Neste Setembro Amarelo, lembramos a todos que “Cada Jornada Importa” na comunidade autista.

Fortalecer a saúde mental requer um compromisso coletivo de empatia, compreensão e apoio e pode ser ampliado em ações do cotidiano. Profissionais especializados e orientação ao longo da vida são a chave para garantir estratégias e ações efetivas de cuidado e suporte.

É preciso fomentar rigor clínico e capacitação contínua para que os profissionais da saúde estejam sempre preparados para acompanhar pessoas autistas, desde a infância até a vida adulta.

Vamos trabalhar juntos para criar um mundo onde cada indivíduo autista possa trilhar sua jornada com dignidade, esperança e a certeza de que não está sozinho.

 

Conheça nosso atendimento para autismo

Conteúdos relacionados

Esse artigo foi útil para você?

Dia Nacional do Futebol: inclusão e emoções das pessoas com TEA Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Aprovado Projeto de Lei que obriga SUS aplicar a escala M-CHAT em crianças de 2 anos Dia mundial do Rock: conheça 5 bandas com integrantes autistas Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? Senado: debate público sobre inclusão educacional de pessoas com TEA Emoções no autismo: saiba como as habilidades emocionais funcionam Dia do cinema nacional: conheça a Sessão Azul Por que precisamos do Dia do Orgulho Autista? Conheça o estudo retratos do autismo no Brasil 2023 | Genial Care Dia Mundial do Meio Ambiente: natureza e a interação de crianças TEA Pessoas com TEA tem direito ao Benefício de prestação continuada (BPC)? Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin