Search
Crianças brincando com lupas. curiosidades sobre o autismo

7 curiosidades sobre o autismo que você precisa saber

Quando pesquisamos sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), nos deparamos com uma infinidade de informações e curiosidades sobre o autismo em páginas de redes sociais e fóruns na internet.

Apesar do excesso e partilha em massa das informações, elas nem sempre são verdadeiras, ou até mesmo acolhedoras.

Por isso, neste texto reunimos 7 curiosidades sobre o autismo para você começar a entender mais sobre esse transtorno.

1. O que é o TEA?

Transtorno do Espectro Autista é nome científico do autismo, é uma síndrome que impacta as habilidades de comunicação, de socialização e outros comportamentos do indivíduo.

Além disso, as dificuldades na interação social, transformam a percepção e a comunicação da pessoa com o mundo.

Alguns sinais do autismo surgem ainda na primeira infância, e podem ser caracterizados como: a dificuldade de interagir socialmente, fazer pouco contato visual, alterações comportamentais, etc.

Entretanto, nenhum autista é igual ao outro, dessa forma, cada descoberta e desenvolvimento é feita de forma singular, de acordo com a percepção e necessidades da pessoa autista. Nem todo autista apresenta os sinais, e algumas pessoas que apresentam sinais similares, não são autistas!

2. Autismo não tem cura

O Autismo não é uma doença, portanto, não tem cura. O TEA é um transtorno do neurodesenvolvimento.Suas características podem ser percebidas ainda na primeira infância, quando a criança tem entre 18 meses e três anos.

Pessoas com TEA podem apresentar diferentes níveis de necessidade de suporte. O que significa que, enquanto alguns têm facilidade de realizar qualquer atividade pessoal e da vida diária, outros precisam de apoio para algumas atividades, como:

  • Tomar banho;
  • Ir ao banheiro;
  • Escovar os dentes;
  • Se alimentar;
  • Se vestir.

Apesar de não podermos curar o autismo, é possível intervir com terapias para que a pessoa tenha melhor qualidade de vida, como aprimorar a comunicação, a concentração e diminuir os movimentos repetitivos que podem competir com a aprendizagem.

Geralmente, uma equipe multidisciplinar acompanha a pessoa autista para que ela mantenha o constante ritmo de evolução. Terapeutas Ocupacionais, Especialistas em ABA e Fonoaudiólogos fazem parte de diversas etapas do desenvolvimento, e costumam acompanhar pessoas autistas e suas famílias para promover bem-estar. Além disso, existem as práticas baseadas em evidências, que são intervenções cientificamente comprovadas que auxiliam nesta jornada.

3. Autismo já foi considerado esquizofrenia

Foi o psiquiatra suíço, Eugen Bleuler, que citou o termo autismo pela primeira vez, no ano de 1911. Para ele, a síndrome na verdade era uma “versão mais severa” da esquizofrenia.

Entretanto, em 1943, o psiquiatra Leo Kanner, se afastou da ideia de autismo ser considerado esquizofrenia, e escreveu sobre crianças que tinham uma “extrema solidão autista e desejo ansiosamente obsessivo pela manutenção da mesmice”. Para Kanner, essas crianças eram mais inteligentes e tinham uma memória extraordinária. Ele dissociou o termo de esquizofrenia e autismo, denominando a síndrome de “distúrbios autísticos do contato afetivo”.

4. Adultos também podem ser diagnosticados

Algumas pessoas recebem diagnóstico tardio de autismo, o que costuma acontecer – principalmente – após se identificarem com pessoas que conhecem que estão no espectro (filhos, amigos, colegas de trabalho), ou até mesmo com personagens de séries e filmes.

Os sinais de autismo acabam sendo mais sutis do que os outros, e falamos sobre eles no vídeo com a Julia Amed, nossa Terapeuta Aplicadora Senior, vale a pena conferir:

5. Muitas “curiosidades sobre o autismo” são falsa!

Infelizmente, muitas curiosidades sobre o autismos e informações falsas são partilhadas nas redes sociais, e acabam confundindo e afastando as pessoas cuidadoras que procuram por informações a respeito das melhores intervenções para o autismo.

Já falamos sobre alguns desses mitos, mas é sempre bom reforçar a informação, afinal, ainda tem muitos pais que se sentem desamparados ao lerem algumas teorias e discussões por aí.

  • Teoria mãe geladeira: que questiona se a falta de carinho e amor dos pais causa o autismo. E isso não é verdade! Não existem evidências que a falta de afeto resulte no autismo. Os pais não têm culpa nenhuma sobre o autismo em seus filhos, e o autismo não tem nada a ver com a falta de amor.
  • Vacinas causam autismo: não, vacinas não causam autismo! Ainda em 2004, o Instituto de Medicina dos Estados Unidos concluiu que não existem provas de que a vacina cause autismo. E de onde isso surgiu? Contamos essa história detalhadamente nesse texto aqui.
  • Autistas vivem em seu próprio mundo: isso também é mito! Afinal, os autistas vivem no mesmo mundo que todos nós, apenas a forma de se desenvolver é diferente, pois pessoas com TEA precisam de acompanhamento de profissionais especializados. Aliás, nenhuma pessoa se desenvolve como a outra: somos todos diferentes.

6. Existem leis que garantem os direitos de autistas e suas famílias

No Brasil algumas leis amparam a pessoa com TEA.

  • Lei Brasileira de Inclusão (LBI) – garante que pessoas autistas frequentem a escola e seja acolhida da melhor forma possível, para que o aprendizado seja potencializado.
  • Lei Berenice Piana(Lei Nº 12.764) –. Dentro dessa lei, pessoas com TEA são consideradas deficientes, por isso a lei assegura que todos os direitos concedidos a PCDs são concedidos, também, para autistas
  • Lei Romeo Mion – A Lei Romeo Mion cria a Carteira de Identificação da Pessoa com TEA (CipTEA), que garante a todos aqueles com o diagnóstico de autismo um documento que possa ser apresentado para informar a condição do indivíduo. O nome foi inspirado em Romeo Mion, filho adolescente do apresentador de TV Marcos Mion.

Além dessas Leis, existem benefícios que auxiliam, como: Benefício da Prestação Continuada (BPC), redução na carga horária de trabalho e outros que reduzem as dificuldades encontradas no cotidiano.

Conheça os direitos das famílias aqui.

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com mulher sentada em um escritório, com um notebook a sua frente.

7. Nos EUA, 1 em cada 36 crianças é autista

De acordo com o mais recente relatório do CDC (órgão responsável por identificar e pesquisar o número de pessoas com autismo), divulgado em 2021 (com dados observados em 2018) 1 em cada 36 crianças é autista. Os dados são baseados exclusivamente em declarações de diagnóstico de TEA documentadas, com crianças de 3 a 8 anos, que são assegurados por profissionais clínicos.

Segundo a OMS uma a cada 160 crianças é autista no Brasil, estimando que dentre 200 milhões de habitantes, cerca de 2 milhões são autistas; o que significa que 10% da população estaria no espectro.

Os dados ainda estão desatualizados, e serão comprovados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que busca contabilizar no senso de 2022 o número de autistas no Brasil. Esse dado foi incluído após a sanção da Lei 13.861/19, que obriga o IBGE a inserir perguntas sobre o autismo nas pesquisas e entender qual é a prevalência do autismo no Brasil.

Essas são algumas das curiosidades do autismo, mas você pode aprender muito mais sobre o TEA em nosso blog! Temos uma categoria preparada para pessoas cuidadoras, com textos que buscam acolher famílias desde o momento inicial do diagnóstico.

PARA AS FAMÍLIAS

Conheça nosso atendimento padrão ouro em intervenção para autismo
Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Canabidiol no tratamento de autismo Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora? Conheça a Sessão Azul: cinema com salas adaptadas para autistas Síndrome sensorial: conheça o transtorno de Bless, filho de Bruno Gagliasso Escala M-CHAT: saiba como funciona! Déficit na percepção visual: Como a terapia ocupacional pode ajudar? 3 aplicativos que auxiliam na rotina de crianças autistas 3 Animações que possuem personagens autistas | Férias Geniais Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Conheça os principais tratamentos para pessoas no espectro autista Diagnóstico de autismo do meu filho. O que preciso fazer? Quais os principais sinais de que meu filho tem autismo? Diagnóstico de autismo: quais os próximos passos. Veja 5 dicas Estereotipias: o que são e quais as principais em pessoas autistas 5 personagens autistas representados em animações infantis Graus de autismo: Conheça quais são e como identificá-los Outubro Rosa: 5 maneiras da mãe se cuidar 5 brincadeiras para o Dia das Crianças O Rol taxativo da ANS chegou ao fim? AUTISMO em ADULTOS: Quando e como saber? AUTISMO e ASPERGER: 25 sinais de Autismo Infantil Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Autismo: Fui diagnosticada aos 60 anos e agora?