Search
Menino faz o sinal de 4 com os dedos, enquanto olha para cima e pensa em algo.

Existem tipos de autismo?

Será que existem tipos de autismo? Não. O autismo não é mais dividido e nomeado por tipos. Esse termo é usado, muitas vezes, para tornar acessível todas as informações sobre o transtorno, facilitando assim a busca, principalmente, das famílias.

O termo tipos de autismo também ficou conhecido por conta de antigas nomenclaturas e categorias que fazem parte de manuais e documentos classificatórios que já estão desatualizados; é neles que encontramos a classificação de tipos de autismo.

Hoje em dia, o autismo é chamado de Transtorno de Espectro Autista (TEA), e essa nomenclatura foi feita em 2013 pelo documento DSM-5. Ele também pode ser classificado por níveis 1, 2 ou 3 (leve, moderado ou severo), segundo o CID-11.

Mas calma que vamos falar sobre isso nesse texto e, dessa forma, ajudar você em sua jornada de descoberta!

O que é autismo?

O autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento que impacta habilidades sociais e outros comportamentos do indivíduo. Quando traz dificuldades na interação social, o transtorno afetando aspectos como:

  • Engajamento ativo;
  • Comunicação funcional;
  • Regulação emocional.

Crianças e adultos com TEA podem apresentar diferentes níveis de necessidade de suporte. O que significa que, enquanto alguns têm facilidade de realizar qualquer atividade pessoal e da vida diária, outros precisam de apoio para as atividades básicas, como tomar banho, se vestir e se alimentar.

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com uma criança levantada por duas terapeutas, Genial Care. O menino Sorri com a brincadeira.

Quais os tipos de autismo?

De acordo com a CID-11 (Classificação Internacional de Doenças – 11.ª revisão), hoje o autismo é classificado por níveis (ou graus) de 1 a 3, que variam e refletem na necessidade de suporte que uma criança necessita para se desenvolver.

  • Nível 1: leve – necessidade de pouco apoio;
  • Nível 2: moderado – necessidade moderada de apoio;
  • Nível 3: severo – muita necessidade de apoio substancial

Vale lembrar que autismo leve, moderado ou severo, são terminologias que fazem parte de uma linguagem coloquial, para assim facilitar o entendimento das pessoas cuidadoras, e tornar acessível à informação para diferentes níveis de jornada e conhecimento.

A CID-11, é um manual organizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem como objetivo oferecer uma linguagem comum para que profissionais da saúde de especialidades e países diferentes possam se comunicar sobre transtornos, doenças, lesões e causas de mortalidade. Nele constam informações diagnósticas do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

CID-10

Antes de ser reestruturada, a CID-11 também apresentava em sua classificação os tipos de autismo. Em sua 10ª edição, a anterior CID-10 (Classificação Internacional de Doenças – 10a revisão), o autismo se encontrava na classificação dos Transtornos Globais do Desenvolvimento (F84).

Dessa forma, era possível que uma pessoa fosse diagnosticada com:

  • F84.0Autismo infantil
  • F84.1 – Autismo atípico
  • F84.2 – Síndrome de Rett
  • F84.3 – Outro transtorno desintegrativo da infância
  • F84.4 – Transtorno de hipercinesia associada a retardo mental e a movimentos estereotipados
  • F84.5Síndrome de Asperger
  • F84.8 – Outros transtornos globais do desenvolvimento
  • F84.9 – Transtornos globais não especificados do desenvolvimento

Com a mudança, o TEA passou a ser classificado de acordo com a necessidade de suporte de cada pessoa e a gravidade dos sintomas.

É importante lembrar que a necessidade de suporte varia conforme as diferentes idades e também situações em que a criança está inserida, como, por exemplo, quando a família recebeu o diagnóstico, quando iniciou as terapias com os profissionais indicados e até mesmo quando a criança passou a apresentar os sinais de autismo.

Manual DSM-5

Outro manual de classificação de doenças muito conhecido é o DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), utilizado especialmente para a descrição de quadros diagnósticos de saúde mental.

Foi a partir do DSM-5 que o autismo deixou de ser chamado de Transtorno Global de Desenvolvimento, e passou a ser chamado de Transtorno do Espectro do Autismo, além de ser classificado como um dos Transtornos do Neurodesenvolvimento, o qual é caracterizado pelas dificuldades de comunicação e interação social e também os comportamentos restritos e repetitivos.

DSM-4 e os tipos de autismo

Ainda no DSM-4, manual anterior ao DSM-5 (que contém dados mais atualizados sobre o TEA), havia tipos de autismo, sendo divididos em:

  • Autismo infantil;
  • Síndrome de Asperger;
  • Transtorno Desintegrativo da Infância;
  • Transtorno Invasivo de Desenvolvimento Sem Definição Específica.

Foi com a mudança do DSM-5 que o termo Síndrome de Asperger deixou de ser utilizado e, aqueles que se enquadraram anteriormente nesse diagnóstico, passaram a ser identificados como autistas com nível de necessidade de suporte 1, coloquialmente chamado de autismo leve.

Classificações do autismo

É importante lembrar que manuais diagnósticos e classificatórios, como a CID-11 e o DSM-5, são utilizados por profissionais para se comunicarem entre si e para direcionar algumas práticas, intervenções e cuidados necessários.

Existem critérios para compor o manual DSM-5, assim como atualizações de classificação do CID. Eles são atualizados de acordo com a evolução e pesquisa a respeito do TEA que, felizmente, tem ganhado cada vez mais espaço na ciência.

Apesar do TEA possuir essas classificações, não quer dizer que exista um nível “melhor” do que o outro. Para todos os níveis de suporte, existe uma equipe de profissionais da fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicoterapia (e muito mais!), que acolhem e intervém com terapias de acordo com as necessidades de cada criança, ela estando no nível leve, moderado ou severo.

Aqui na Genial Care acolhemos e cuidamos de crianças com TEA até os 6 anos. Se você é da grande São Paulo, e quer saber mais sobre nossa intervenção, preencha o formulário abaixo:

Formulário de interesse

Conheça nosso atendimento padrão ouro em intervenção para autismo
Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Canabidiol no tratamento de autismo Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora? Conheça a Sessão Azul: cinema com salas adaptadas para autistas Síndrome sensorial: conheça o transtorno de Bless, filho de Bruno Gagliasso Escala M-CHAT: saiba como funciona! Déficit na percepção visual: Como a terapia ocupacional pode ajudar? 3 aplicativos que auxiliam na rotina de crianças autistas 3 Animações que possuem personagens autistas | Férias Geniais Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Conheça os principais tratamentos para pessoas no espectro autista Diagnóstico de autismo do meu filho. O que preciso fazer? Quais os principais sinais de que meu filho tem autismo? Diagnóstico de autismo: quais os próximos passos. Veja 5 dicas Estereotipias: o que são e quais as principais em pessoas autistas 5 personagens autistas representados em animações infantis Graus de autismo: Conheça quais são e como identificá-los Outubro Rosa: 5 maneiras da mãe se cuidar 5 brincadeiras para o Dia das Crianças O Rol taxativo da ANS chegou ao fim? AUTISMO em ADULTOS: Quando e como saber? AUTISMO e ASPERGER: 25 sinais de Autismo Infantil Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Autismo: Fui diagnosticada aos 60 anos e agora?