Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
causas do autismo: bebê está deitado e mãe encosta nariz no dele

Causas do autismo: saiba quais são elas

As causas do autismo ainda não foram totalmente esclarecidas, mas muitos estudos e pesquisas são realizados para identificar o que está relacionado ao desenvolvimento deste transtorno. 

O que se sabe até hoje é que a genética tem um papel fundamental no desenvolvimento do Transtorno do Espectro Autista (TEA), assim como variáveis ambientais também podem se tornar fatores de risco para o diagnóstico. 

Neste artigo, explicamos mais sobre o que estudos já identificaram como potenciais causas do autismo e também fatores que ainda precisam de estudos mais aprofundados para se confirmarem. Para começar, vamos lembrar o que é TEA.

O que é autismo? 

O autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta como a pessoa vê e interage com o mundo. Ele impacta habilidades sociais, trazendo  dificuldades na interação social e afetando aspectos como engajamento ativo, comunicação funcional e regulação emocional.

Quem for identificado com a condição pode ter dificuldade no desenvolvimento do que chamamos de díade do autismo:

  • Comunicação e interação social;
  • Padrões de comportamentos restritos e repetitivos.

Os primeiros sinais de autismo podem ser identificados ainda na primeira infância, e a intervenção precoce pode ser a principal aliada no desenvolvimento da criança. 

Pessoas com TEA podem apresentar diferentes níveis de necessidade de suporte. O que significa que, enquanto alguns têm facilidade de realizar qualquer atividade pessoal e da vida diária, outros precisam de apoio para as atividades cotidianas, como tomar banho, se vestir e se alimentar.

Causas do autismo segundo o DSM

Para diagnóstico do autismo são utilizados manuais como o DSM e a CID. De acordo com a versão mais recente do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), da Associação Americana de Psiquiatria, as causas do autismo são genéticas, fisiológicas e ambientais

O documento descreve que as estimativas de herdabilidade para o TEA variam entre 37% até mais de 90%, com base em taxas de concordância entre gêmeos. E ainda que até 15% dos casos de autismo parecem estar associados a uma mutação genética conhecida. 

Existe ainda menção a alguns fatores ambientais (abaixo citados) que também são considerados riscos para o desenvolvimento do TEA.

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com mulher sentada em um escritório, com um notebook a sua frente.

Genética é uma das causas do autismo?

A genética tem papel importante no desenvolvimento do autismo. De fato, vários estudos já identificaram uma série de genes que estão ligados ao TEA. Em entrevista à Genial Care, a geneticista e doutora em Biologia Molecular, Graciela Pignatari, explica que o fator de risco genético é majoritário no autismo e que os primeiros estudos neste campo ocorreram ainda na década de 1970. 

“Parece que a genética do autismo é algo muito novo, mas não é. São estudos que iniciaram na década de 1970. Então, a primeira vez que se colocou a relação do autismo com a genética foi em 1977, por dois pesquisadores que já colocaram uma relação de genética com gêmeos. Eles mostraram, num trabalho, que já havia uma relação de genética e autismo em gêmeos, onde o primeiro tinha autismo e a chance de gêmeos monozigóticos [idênticos] do segundo também ter autismo era em torno de 80%. E esse número caía para 40% em gêmeos dizigóticos [não idênticos]”, conta.

Ao longo do tempo, outros estudos e pesquisadores continuaram a reforçar a relação entre o autismo e a genética (de que o autismo vem do pai ou da mãe) e também da herdabilidade paterna. Por esse motivo, exames de sequenciamento genético que reúnem informações importantes sobre a herança genética herdada tanto pelo pai quanto pela mãe são cada vez mais comuns.

De acordo com Graciela, que atua como geneticista no laboratório de sequenciamento genético especializado em autismo, Tismoo, existem diferentes tipos de exames de sequenciamento genético. “A gente tem que tomar muito cuidado quando fala de exames de sequenciamento genético porque não existe um único exame de sequenciamento genético. A gente tem exames diferentes que nos dão respostas diferentes”.

Ainda conforme o também geneticista Diogo Lovato, do mesmo laboratório, é dever dos profissionais, por meio de avaliação e consulta pré-teste, determinar qual exame será o mais eficiente para cada pessoa. 

“Todo exame tem um propósito clínico. Então, por que você vai fazer um exame de sequenciamento genético? Tem que ter um motivo. O médico ou a médica geneticista é o [profissional] ideal para fazer esse pedido, porque ele vai olhar a pessoa, vai entender ela clinicamente num contexto médico e vai entender o que a genética pode trazer para a pessoa, ele vai recomendar um exame específico”, explica.

Fatores ambientais podem ser causas do autismo? 

Estudos também apontam que fatores ambientais podem ser uma causa do autismo, ainda que em menor grau que a genética. Isso significa que o ambiente e situações que acontecem com a mãe durante a gravidez poderiam se tornar fatores de risco para que o feto desenvolva autismo antes de nascer.  

Abaixo, abordamos alguns fatores ambientais que já foram estudados nesse sentido:

Ácido valproico

Segundo alguns estudos realizados, esta substância é normalmente presente em medicações para tratamento de transtornos bipolar e epilépticos e pode aumentar os riscos para o desenvolvimento do autismo.

Idade paterna

Outros estudos também relacionam a idade dos pais como um possível fator risco para o TEA. De acordo com essas publicações, as taxas de diagnóstico tendem a aumentar quando a criança é filha de: 

  • Mulheres jovens e homens mais velhos;
  • Pais com mais de 50 anos.

Outros fatores que ainda estão sendo estudados e no momento ainda não foram comprovados como sendo de risco para o TEA são:

  • Exposição materna a toxina e poluentes do ar;
  • Parto prematuro;
  • Infecções adquiridas pela mãe;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Diabete materna;
  • Uso de álcool e drogas durante a gestação.

É importante ressaltar, no entanto, que ainda é preciso que estudos novos sejam realizados para comprovar qualquer uma dessas hipóteses. 

Autismo tem cura? 

Como o autismo não é uma doença, não existe cura para o transtorno. No entanto, é possível que a pessoa no TEA consiga se desenvolver e atingir todo seu potencial, com tratamento para autismo.

Para que isso aconteça, é preciso buscar intervenções baseadas em evidências científicas, uma equipe multidisciplinar ou transdisciplinar capacitada e considerar as singularidades de cada indivíduo. 

A Genial Care é uma clínica que combina intervenção direta com a criança em casa e treinamento e orientação de pessoas cuidadoras para que as crianças alcancem todo seu potencial e garantir o bem-estar de todo núcleo familiar.

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul