Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
Pessoa digitando ao computador, estetoscópio está ao lado. CID f84

CID F84: o que é e relação com o autismo

Você sabe o que significa CID F84? É uma sigla do Manual da Classificação Internacional de Doenças e Transtornos Mentais (CID) que descreve os Transtornos Globais do Desenvolvimento.

Esses transtornos abrangem uma série de condições relacionadas a desafios na comunicação, interação social e habilidades motoras.

Até pouco tempo atrás, o autismo era categorizado como um Transtorno Global do Desenvolvimento e, frequentemente, as crianças diagnosticadas com autismo recebiam o código CID F84.0.

Por isso, neste artigo, vamos explorar a conexão entre o autismo e o CID F84. Acompanhe a leitura!

O que é CID F84?

Mulher com dúvidas ao buscar notícias sobre CID F84 em seu celular

Já mencionamos o CID F84, que se refere aos Transtornos Globais do Desenvolvimento. Essa categoria no Manual da Classificação Internacional de Doenças e Transtornos Mentais engloba vários transtornos e condições com sinais e sintomas semelhantes.

O DATASUS descreve o CID F84 como: ‘Um grupo de transtornos caracterizados por mudanças na forma como as pessoas interagem socialmente, se comunicam e apresentam interesses e atividades restritos, repetitivos e estereotipados.’

Alguns dos principais sinais para identificar os TGDs incluem:

  • Dificuldades graves e invasivas na interação social;
  • Dificuldades graves e invasivas na comunicação;
  • Comportamentos, interesses e atividades repetitivas e estereotipadas.

Essa sigla é usada em manuais de diagnóstico de edições passadas, como o DSM-4 da Associação Americana de Psiquiatria e o CID-10 da Organização Mundial da Saúde. Ambos são documentos essenciais no processo de diagnóstico de pessoas com transtornos.

A padronização das siglas é importante para o monitoramento da prevalência de condições específicas e proporcionando uma visão abrangente da saúde em escala global.

Subtipos de CID F84

Na categoria de Transtornos Globais do Desenvolvimento, os diagnósticos classificados como CID F84 sempre vem acompanhado de um ponto e um número de 0 a 9 que identifica aquela subcategoria em específico:

  • F84.0: Autismo infantil;
  • F84.1: Autismo atípico;
  • F84.2: Transtorno de Rett;
  • F84.3: Transtorno Desintegrativo da Infância;
  • F84.4: Transtorno com hipercinesia associada a retardo mental e movimentos estereotipados;
  • F84.5: Transtorno de Asperger (ou síndrome de Asperger);
  • F84.8: Outros Transtornos Globais do Desenvolvimento;
  • F84.9: Transtorno Global do Desenvolvimento SOE (Sem outra especificação).

Além de identificar o transtorno ou condição, os números de diagnóstico também servem como uma codificação que ajuda médicos e profissionais clínicos a se comunicarem sobre a situação do indivíduo.

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com uma criança levantada por duas terapeutas, Genial Care. O menino Sorri com a brincadeira.

Ainda existe diagnóstico com CID F84?

Até a 4ª edição do DSM e a 10ª edição do CID, os Transtornos Globais do Desenvolvimento eram uma categoria estabelecida.

No entanto, com as revisões constantes desses manuais, quando o DSM-5 e o CID-11 foram lançados, os Transtornos Globais do Desenvolvimento foram reformulados e agora são conhecidos como Atraso Global do Desenvolvimento, identificados pela sigla CID F88.

O autismo, por sua vez, ganhou sua própria categoria e passou a ser chamado de Transtornos do Espectro Autista (TEA). Os diagnósticos agora vêm com códigos específicos:

  • TEA sem Deficiência Intelectual (DI) e com leve ou nenhum prejuízo de linguagem funcional;
  • TEA com DI e com leve ou nenhum prejuízo de linguagem funcional;
  • TEA sem DI e com prejuízo de linguagem funcional;
  • TEA com DI e com prejuízo de linguagem funcional;
  • TEA sem DI e com ausência de linguagem funcional;
  • TEA com DI e com ausência de linguagem funcional;
  • Outro transtorno do espectro autista especificado;
  • Transtorno do espectro do autismo não especificado.

Para tornar tudo mais acessível, profissionais e famílias frequentemente usam termos como autismo leve, moderado e severo, referindo-se aos níveis de suporte necessários em cada caso.

Além disso, é importante notar que termos como ‘Síndrome de Asperger’ e ‘autismo infantil’ não são mais utilizados.

Conduta médica para o CID F84

Independente de ser CID F84 ou CID6A02, é importante que profissionais da medicina sigam a seguinte conduta médica:

Avalie os marcos do desenvolvimento

Embora cada criança tenha seu próprio ritmo de desenvolvimento, é crucial que elas alcancem marcos de desenvolvimento apropriados para sua idade.

Avaliar esses marcos é um dos primeiros passos para determinar se a criança está progredindo conforme o esperado. Se houver indícios de atraso no desenvolvimento, é importante implementar protocolos de rastreamento e triagem.

Intervenções

O próximo passo é assegurar que a criança receba intervenções baseadas em evidências científicas e adaptadas às suas necessidades individuais, acompanhando seu progresso.

Essas terapias devem ser conduzidas por uma equipe que trabalhe em conjunto, abrangendo diversas áreas de especialização e colaborando eficazmente para oferecer o melhor suporte possível.

Família

A família desempenha um papel essencial nesse processo. É crucial cuidar do bem-estar da família e comunicar a importância de receber orientações e praticar o autocuidado. Isso não apenas ajuda no desenvolvimento da criança, mas também fortalece o apoio que ela recebe.

Conclusão

O CID F84, que se refere aos Transtornos Globais do Desenvolvimento, foi uma categorização significativa que englobou várias condições com desafios na comunicação, interação social e habilidades motoras.

Com a evolução dos manuais de diagnóstico, como o DSM-5 e o CID-11, essa categorização foi reformulada, e agora temos os Transtornos do Espectro Autista (TEA).

Independentemente da sigla ou do código de diagnóstico, é muito importante que os profissionais médicos e as famílias adotem uma abordagem completa para apoiar o desenvolvimento da criança.

E isso começa pela avaliação dos marcos de desenvolvimento e a identificação de possíveis atrasos, seguida por intervenções baseadas em evidências, adaptadas às necessidades individuais da criança.

Além disso, a importância do apoio familiar e do autocuidado não pode ser subestimada. O bem-estar da família desempenha um papel fundamental na jornada do desenvolvimento da criança.

Seja qual for o laudo diagnóstico, o objetivo principal é oferecer o melhor suporte possível para cada criança, ajudando-a a atingir seu potencial único e trilhar um caminho saudável e feliz.

Na Genial Care, a criança e a família estão no centro do nosso serviço e recebem toda assistência necessária que garante que a criança alcance todo seu potencial e todo bem-estar do núcleo familiar. Conheça nossa rede de cuidado de saúde atípica:

Conheça a Genial Care

Conheça nosso atendimento para autismo

Conteúdos relacionados

Esse artigo foi útil para você?

Dia Nacional do Futebol: inclusão e emoções das pessoas com TEA Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Aprovado Projeto de Lei que obriga SUS aplicar a escala M-CHAT em crianças de 2 anos Dia mundial do Rock: conheça 5 bandas com integrantes autistas Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? Senado: debate público sobre inclusão educacional de pessoas com TEA Emoções no autismo: saiba como as habilidades emocionais funcionam Dia do cinema nacional: conheça a Sessão Azul Por que precisamos do Dia do Orgulho Autista? Conheça o estudo retratos do autismo no Brasil 2023 | Genial Care Dia Mundial do Meio Ambiente: natureza e a interação de crianças TEA Pessoas com TEA tem direito ao Benefício de prestação continuada (BPC)? Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin