Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
mãe com bebê na frente do espelho

Neurônios espelho e sua relação com o autismo

Neurônios espelho são células do cérebro ativadas quando executamos uma ação, ou quando observamos outra pessoa executando a mesma ação. Esses neurônios possibilitam a compreensão da intenção, emoção e ações do outro, através da “simulação mental” dessas experiências em nosso próprio cérebro.

estudos que buscam evidenciar lapsos desses neurônios espelho em pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), pois um dos sinais do autismo é a dificuldade de interpretação e compreensão das expressões faciais e emocionais transmitidas pelos outros.

Além disso, muitas pessoas no espectro apresentam dificuldades em interagir socialmente e em imitar ou aprender por observação, que é uma das funções básicas dos neurônios espelho.

Mas afinal, por que a disfunção dos neurônios espelho ocorre no autismo? Ainda é uma questão em aberto. Entretanto, uma teoria é que a alteração pode ser resultado de uma disfunção geral do processamento sensorial no cérebro. Saiba mais sobre o assunto nesse texto!

O que são neurônios espelho?

Os neurônios espelho foram descobertos pelo neurocientista italiano Giacomo Rizzolatti e sua equipe de pesquisa na Universidade de Parma, Itália, no final dos anos 1990.

Inicialmente, a equipe estava estudando a atividade neuronal em macacos que estavam sendo treinados para realizar tarefas manuais, como pegar objetos e comida com as mãos.

Durante esses experimentos, eles observaram que certos neurônios no córtex pré motor ventral dos macacos, que eram normalmente ativados quando os macacos realizavam essas tarefas manualmente, também eram ativados quando os animais simplesmente observavam outras pessoas realizando as mesmas tarefas.

Essa descoberta sugeriu a existência de neurônios que podem “espelhar” ou imitar as ações observadas por outras pessoas. Desde então, os neurônios espelho têm sido amplamente estudados em humanos e outros animais, sendo considerados importantes para compreensão da intenção e do comportamento de outras pessoas, além de observar a:

  • Compreensão da empatia;
  • Imitação;
  • Aprendizagem social;
  • Outras funções cognitivas complexas.

Por exemplo, quando você vê alguém sorrindo, seus neurônios espelho podem ser ativados, permitindo que você compreenda e experimente a emoção positiva que essa pessoa está sentindo.

Os neurônios espelho são uma área importante de pesquisa em neurociência, e sua descoberta tem implicações para entender:

  • Cognição social;
  • Aprendizagem social;
  • Comunicação não-verbal.

Qual a relação dos neurônios espelho e o autismo?

criança olhando e tocando em um espelho

O estudo dos neurônios espelho sugere que eles são responsáveis pela compreensão das ações, emoções e intenções dos outros através da simulação mental dessas experiências em nosso próprio cérebro.

Algumas pesquisas sugerem que disfunções nos neurônios espelho podem estar relacionadas ao autismo.

Isso porque uma das características que fazem parte do espectro autista, como “díade do autismo”, é a dificuldades na comunicação e interação social. Fazendo um paralelo aos neurônios espelhados, alguns sinais em evidências impulsionam a pesquisa entre a relação do transtorno e os neurônios, sendo eles:

  • Falta ou ausência de contato visual — muitas crianças autistas, desde muito pequenas, não costumam fixar o olhar nos olhos de outra pessoa diante de uma interação ou conversa. Têm também dificuldades com gestos, expressões faciais e corporais;
  • Imagem corporal rígida, exagerada, ou diferente do esperado pelos padrões sociais — o que está diretamente relacionado à dificuldade para coordenar a comunicação não verbal com a fala;
  • Dificuldade em entender e compartilhar emoções — o que implica em dificuldades para brincar com outras crianças, fazer amizades, iniciar interações e se relacionar com os outros;
  • Prejuízos na interação social — alguns autistas, mesmo adultos, têm dificuldade no processamento de respostas a situações sociais mais complexas, como, por exemplo, saber quando entrar em uma conversa, ou o que se deve ou não dizer. Pessoas diagnosticadas com autismo raramente dominam essas habilidades sociais, e não entendem ironias e possíveis mentirinhas ou brincadeiras.

No entanto, a relação entre neurônios espelho e autismo ainda é objeto de pesquisa e debate na comunidade científica. Nesse sentido, o que já sabemos sobre as causas do autismo já sabemos que as causas do autismo estão ligadas a genética e fatores ambientais.

O papel dos neurônios espelho na aprendizagem

pai e filho olhando para o espelho

Os neurônios espelho também podem ter um papel importante na aprendizagem. Através da ativação deles, podemos aprender novas habilidades observando outras pessoas realizando essas mesmas atividades.

Por exemplo, é comum aprendermos a tocar um instrumento musical observando um professor executando as notas e movimentos.

Além disso, estudos mostram que a observação de ações e movimentos também pode melhorar a capacidade de aprendizagem e desempenho em tarefas motoras. Isso ocorre porque a ativação dos neurônios espelho durante a observação de uma ação pode facilitar a formação de novas conexões neurais e melhorar a capacidade do cérebro para executar essa ação.

No entanto, é importante notar que a relação entre esses neurônios e aprendizagem ainda está em fase de pesquisa e debate, e há muito a ser aprendido sobre como os neurônios espelho influenciam a maneira como aprendemos e adquirimos novas habilidades.

Prática Baseada em Evidências: a modelação

Assim como uma das preocupações com as falhas em neurônios espelho é a ausência de interpretação, e a dificuldade em reconhecer expressões faciais e sentimentos, essas características também são importantes a serem desenvolvidas em algumas pessoas no espectro.

Existem intervenções que auxiliam no aprendizado, geralmente feitas por profissionais da fonoaudiologia. Mas uma prática baseada em evidências bem conhecida, é a modelação.

A modelação é um processo de aprendizagem onde as pessoas aprendem por meio da observação e imitação do comportamento de outras pessoas. É uma forma eficiente de adquirir novas habilidades e comportamentos sem ter que aprender por tentativa e erro.

A modelação pode ocorrer em diversas situações e em diferentes contextos, desde a aprendizagem de habilidades motoras (como andar de bicicleta), a aquisição de habilidades sociais (como a comunicação verbal e não-verbal) e a autonomia em situações da vida diária.

Uma das preocupações presentes em pessoas cuidadoras, é justamente o desenvolvimento da autonomia da pessoa com TEA, mas todos conseguem aprender e desenvolver habilidades sociais que promovem resultados positivos no bem-estar!

Por isso, é importante sempre buscar intervenções baseadas em evidências científicas, junto a uma equipe multidisciplinar que vai entender cada singularidade da criança, e impulsionar de acordo com o perfil que ela apresenta.

E se você é da Grande São Paulo, e está nessa jornada, nós podemos te ajudar! Aqui na Genial Care temos uma equipe multidisciplinar que acolhe e cuida de crianças com TEA até os 5 anos. Quer saber mais sobre nossas intervenções? Clique no banner e preencha o formulário:

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora? Conheça a Sessão Azul: cinema com salas adaptadas para autistas Síndrome sensorial: conheça o transtorno de Bless, filho de Bruno Gagliasso