ABA e intervenções para autismo filho tiver uma crise

E se meu filho tiver uma crise quando não estiver por perto?

Foto do author Gabriela Bandeira

Gabriela Bandeira

04 de março de 2021

5 min.

Se o seu filho tiver uma crise, saiba que são comuns em crianças com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), e elas normalmente são um dos principais motivos pelos quais os pais se sentem nervosos e preocupados. No entanto, um dos medos mais frequentes dos cuidadores é de não estarem por perto durante um momento de crise para intervir.

Nosso estudo Cuidando de quem cuida: um panorama sobre as famílias e o autismo no Brasil em 2020 mostra que 57% dos cuidadores sente dificuldade em saber o que fazer e como agir em situações desafiadoras com a criança.

Esse sentimento é comum. Assim como o de não estar por perto nesses momentos, já que é um instinto natural dos pais querer sempre estar próximos para proteger os filhos. E se eu filho tiver uma crise quando você não estiver por perto? Nós te ajudamos a entender como ajudar, mesmo de longe.

Autismo não é birra: entenda o comportamento

O primeiro passo para conseguir lidar com esse sentimento de medo é entender o comportamento ou os comportamentos que a criança expressa num momento de crise. Apesar de muitos associarem choro, gritos e outras reações à birra, é preciso investigar e analisar cada detalhe para entender do que ela [a reação] é formada. Além disso, todo comportamento é composto pelos seguintes fatores:

  • Antecedente: aquilo que acontece antes da crise,
  • Comportamento: a maneira como a criança reage ao antecedente, descrita de forma detalhada (por exemplo: ela chora, se joga no chão, tapa os ouvidos etc),
  • Consequência: o que acontece logo em seguida ao comportamento, e que pode servir para reforçá-lo.

Entender estas etapas é essencial para que você consiga entender porque aquele comportamento acontece e criar estratégias que vão ajudar a diminuí-lo ou substituí-lo.

Explicando para outra pessoa o comportamento do meu filho

Depois de entender o que compõe o comportamento do seu filho, é hora de explicá-lo para outra pessoa. De novo, não se esqueça de ser o mais detalhista possível, compartilhe tudo que observou sobre como é o comportamento e o que normalmente o ocasiona e o reforça.

Embora esse processo possa parecer algo simples, ele é fundamental para que você enfrente o medo de uma crise acontecer quando você não estiver por perto.

Isso porque da próxima vez que se deparar com pensamentos acerca dessa hipótese, vai se lembrar que, se seu filho tiver uma crise longe de você, ele vai estar próximo de alguém que sabe como ele se comporta nesse momento e entende o que pode e não fazer para amenizar o comportamento desafiador.

Foto do author Gabriela Bandeira

Escrito por:

Gabriela Bandeira

Qual é a sua relação com a criança autista?*

Está procurando por um conteúdo específico? Clique e veja todos os temas deste artigo!

Clique no tópico que deseja saber mais.