Banner do post ABA na escola: como aplicar as estratégias em alunos com autismo
Banner do post ABA na escola: como aplicar as estratégias em alunos com autismo

ABA na escola: como aplicar as estratégias em alunos com autismo

Utilizar a ABA na escola é importante para ajudar no desenvolvimento de alunos com autismo. Isso porque a ciência baseada na Análise do Comportamento Aplicada pode ser usada em diversos contextos da vida cotidiana – para pessoas atípicas e neurotípicas –, inclusive para intervenções em pessoas que foram diagnosticadas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)

Quando aplicadas para o autismo, as estratégias da ABA ajudam no aprendizado de novos comportamentos e habilidades deautorregulação que podem auxiliar na interação e comunicação social. Neste artigo, falamos mais sobre a ABA na escola, sua aplicação e benefícios. 

O que é ABA?

Para começar, é preciso entender que a Análise do Comportamento Aplicada (ABA, da sigla em inglês para Applied Behavior Analysis) é uma ciência cujas estratégias são baseadas na Análise do Comportamento (AC). 

Por meio desta ciência, propõe-se uma análise dos comportamentos do indivíduo, justamente para que seja possível entender: 

  • Como e porquê os comportamentos ocorrem;
  • Quais as influências ambientais a eles relacionadas. 

A partir daí, é possível traçar estratégias que permitam ensinar novas habilidades para este indivíduo. O que vale pontuar é que durante todo processo para usar a ABA em qualquer ambiente, é preciso levar em consideração a singularidade de cada indivíduo para garantir que as intervenções sejam efetivas

Isso porque a ABA só funciona quando é feito um estudo daquela pessoa e de seus comportamentos para, então, planejar as intervenções e estratégias que serão utilizadas para atingir um ou mais objetivos. 

Benefícios de introduzir a ABA na escola

Comumente, ouvimos falar que pessoas diagnosticadas com TEA têm uma recomendação que varia de 20 a 40 horas semanais de intervenção, entre elas, aquelas baseadas na Análise do Comportamento Aplicada. 

Mas o que muitas famílias não entendem é que essa recomendação serve tanto para intervenções diretas, quanto estimulações indiretas. Isso é, o que conta é a interação da criança e a exposição dela a estímulos que ajudam em seu desenvolvimento em diversos ambientes: em casa, durante as sessões, na escola etc.

Por isso, aplicar a ABA na escola é uma ótima maneira de estimular o desenvolvimento da criança em um ambiente natural, do qual ela participa todos os dias e que têm grande impacto em seu processo de aprendizagem. 

Dentro de estratégias já conhecidas e validadas que fazem parte da Análise do Comportamento Aplicada, algumas que podem ser aplicadas no ambiente escolar são: 

  • Instrução e intervenção mediada por pares;
  • Treinamento de habilidades sociais;
  • Suportes visuais;
  • Entre outros. 

Além disso, a ABA na escola pode ajudar no processo de aprendizado da generalização, que muitas vezes é tão difícil para pessoas com autismo. Pois se ela consegue aprender um determinado comportamento ou habilidade e aplicá-lo em diferentes contextos, ela de fato se desenvolveu. 

O AT como aplicador da ABA na escola

A figura de Acompanhante Terapêutico (AT) é importantíssima dentro do ambiente escolar, principalmente para aplicação da ABA na escola com estudantes autistas. Isso porque é esse profissional quem será responsável por acompanhar e auxiliar a pessoa em seu processo de aprendizagem. 

Mais do que apoiar e garantir resultados no aprendizado da grade curricular, o profissional de AT também auxilia na conquista pela independência do indivíduo na escola e na vida. Assim, ele vai promover algumas atividades e estratégias da ABA justamente para que a criança consiga se desenvolver. 

Sendo que algumas das suas principais missões estão em promover: 

  • Brincadeiras sociais; 
  • Aprendizagem;
  • Socialização;
  • Cuidados pessoais.

É o AT também quem auxilia no processo de desenvolvimento da comunicação. Isso porque garantir que o aluno consiga se comunicar de maneira efetiva e ser compreendido por todos pode ser fortalecido pelo trabalho desse profissional, em conjunto com a equipe que atende a criança. 

As famílias têm direito a ATs na escola? 

Ao longo do tempo, algumas legislações surgiram para garantir os direitos das pessoas no TEA e suas famílias. Falando do ambiente educacional, é assegurado por lei às pessoas autistas a presença de um profissional de acompanhamento junto ao aluno na sala de aula, se isso for julgado necessário. 

A principal função desse profissional é apoiar o aluno para que ele consiga acompanhar a aula ministrada pelo professor e também nas atividades da vida diária na escola (hora do lanche, usar o banheiro e comportamento na sala de aula) e na interação com outros alunos e funcionários. 

Além disso, também é necessária a elaboração de Plano Educacional Individualizado (PEI), que vai orientar a adaptação de materiais e avaliações, de modo que elas se adequem da melhor forma possível ao aprendizado do aluno. Essas necessidades precisam ser laudadas pela equipe que acompanha a criança. 

Também pensando na importância da generalização, a Genial Care oferece a intervenção com a criança em outro ambiente importante para seu desenvolvimento: a casa onde ela vive. Para conhecer mais sobre nossos serviços, veja nosso site