Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
tecnologia assistiva: menina está com fones e olhando para notebook

Tecnologia assistiva: aliada na educação de crianças autistas

A educação de crianças autistas é um desafio que demanda abordagens inovadoras e adaptativas. Nesse contexto, a tecnologia assistiva surge como uma aliada valiosa, proporcionando ferramentas e recursos que podem facilitar o aprendizado e o desenvolvimento dessas crianças.

Tecnologia assistiva é o nome dado aos recursos que têm o objetivo de proporcionar ou ampliar as habilidades funcionais de pessoas com deficiência, como o autismo.

É por meio delas que é possível ter conquistas importantes como independência e inclusão.

Quando falamos em pessoas com autismo, o uso de tecnologias assistivas para o desenvolvimento em diversas esferas têm sido cada vez mais discutido e estudado. É sobre esse tema que abordamos no artigo a seguir, acompanhe!

O que é tecnologia assistiva?

Menina sentada ao chão, mexendo em tablet eletrônico.

Entende-se por tecnologia assistiva (TA) todo tipo de ferramenta que faz uso de recursos tecnológicos para promover o ensino de habilidades para pessoas com deficiência.

Ou seja, a tecnologia assistiva refere-se a qualquer item, equipamento, software ou sistema utilizado para aumentar, manter ou melhorar as capacidades funcionais dessas pessoas.

No caso da educação de crianças autistas, a TA desempenha um papel essencial na promoção da inclusão e no apoio às necessidades específicas dessas crianças.

De acordo com Tenório (2015), “a TA é utilizada como instrumento de acessibilidade e inclusão”, e visa integrar tecnologia e inclusão em uma ferramenta capaz de atender e auxiliar alunos com necessidades educacionais especiais. Ou seja, seu uso beneficia PCDs com dificuldades de aprendizagem.

A aplicação da tecnologia assistiva pode ser feita por profissionais de várias áreas de conhecimento, e seu processo passa por algumas etapas, como:

  • Pesquisa;
  • Fabricação;
  • Uso de equipamentos, recursos ou estratégias.

Todas as etapas acima possuem o objetivo de potencializar as habilidades funcionais. Sendo assim, as TAs podem ser usadas, também, nas intervenções para o autismo, como vemos a seguir.

Quais são os tipos de tecnologia assistiva?

A tecnologia assistiva abrange uma ampla variedade de ferramentas e recursos projetados para atender às necessidades específicas de pessoas com diferentes tipos de deficiências.

No contexto da educação de crianças autistas, a escolha adequada da tecnologia assistiva é fundamental, já que elas darão apoio e suporte no desenvolvimento e aprendizado dessas crianças.

Existem algumas categorias e especificidades para as tecnologias assistivas, o que ajuda a entender melhor as necessidades e possibilidades de cada uma, além de possíveis barreiras no aprendizado.

Auxílios para a vida diária

Materiais e produtos para auxiliar em tarefas rotineiras, como comer, cozinhar, vestir-se e até mesmo tomar banho. Também podemos pensar em possibilidades de tecnologia assistiva para a manutenção da casa, por exemplo.

CAA – Comunicação Alternativa e Aumentativa

Exemplo de comunicação aumentativa e alternativa

A CAA é bastante ampla, com ela podemos ter recursos eletrônicos ou não, que permitem a comunicação expressiva e receptiva das pessoas não vocais ou com limitações de comunicação.

São muito utilizadas as PECS (pranchas de comunicação com símbolos) ou até mesmo vocalizadores e softwares dedicados para esse fim.

Recursos de acessibilidade ao computador

Equipamentos de entrada ou saída (síntese de voz ou baile), auxílios alternativos ao acesso (ponteiras de cabeça, de luz), teclados modificados ou alternativos, acionadores, softwares especiais (de reconhecimento de voz) que permitem as pessoas usarem de forma integral um computador.

Sistemas de controle de ambientes

Alguns sistemas operacionais acessíveis, como sistemas eletrônicos especializados, permitem que pessoas com limitações, moto-locomotoras ou outras, consigam controlar aparelhos eletrônicos ou sistemas de segurança.

Auxílio de mobilidade, de visão ou déficit auditivo

Sistemas de tecnologia assistiva com adaptações para mobilidade, locomoção, visão ou até mesmo audição podem ser utilizados, como cadeiras de rodas motorizadas, bases móveis, andadores, adequação de veículos, equipamentos com lupas, lentes e leitura de documentos ou telefones com teclado e sistemas por voz.

Tipos de tecnologia assistiva para crianças com autismo na escola

Aplicativos e dispositivos específicos auxiliam na comunicação não verbal, promovendo a expressão das crianças autistas, que podem ser implementados para facilitar a interação e a expressão de necessidades.

Algumas possibilidades são:

  • Aplicativos de Comunicação;
  • Jogos sensoriais;
  • Plataformas de aprendizado personalizadas;
  • Aplicativos para Desenvolvimento de Habilidades Sociais;
  • Software de troca de figuras.

Mas vale ressaltar que: é fundamental destacar que a escolha e implementação da tecnologia assistiva devem ser baseadas nas necessidades específicas de cada criança, levando em consideração seu perfil cognitivo, emocional e sensorial!

Como a TA pode ajudar pessoas com autismo?

Para todos os efeitos legais, pessoas autistas são consideradas pessoas com deficiência. E esse entendimento também é válido quando falamos do uso de tecnologia assistiva para o desenvolvimento delas.

A tecnologia assistiva para pessoas autistas pode auxiliar em diversos campos, como:

  • Favorecem o processo de alfabetização;
  • Estimulam a fala;
  • Despertam a atenção e a concentração;
  • Motivam à participação e a integração social;
  • Fornecem suporte para a realização de tarefas diárias;
  • Promovem o entendimento do funcionamento do ambiente ao redor;
  • Propiciam a expressão de emoções.

Elas ainda podem ser fortes aliadas no desenvolvimento de uma comunicação alternativa, pois seus recursos são, muitas vezes, usados na criação de pranchas de comunicação, por exemplo.

Tecnologia assistiva no ambiente escolar

A tecnologia assistiva também tem sido muito usada dentro do ambiente escolar, como uma forma de fornecer suporte visual e chamar a atenção dos alunos, especialmente aqueles que estão no espectro do autismo.

Isso porque o uso de recursos tecnológicos proporcionam uma metodologia de ensino mais ativas, que faz com que a criança também se sinta parte do processo e ajuda na construção do seu próprio conhecimento.

Além disso, elas também ajudam no desenvolvimento de capacidades cognitivas, sensoriais e interacionais. Alguns exemplos de tecnologias assistivas na educação são:

  • Computadores;
  • Tablets;
  • Jogos e brincadeiras lúdicas.

Além dos benefícios citados, fazer uso das tecnologias assistivas com alunos no espectro do autismo pode ajudar no processo de generalização para que a criança replique o que foi aprendido no ambiente escolar em outros locais e contextos.

Por fim, vale lembrar que o uso desses recursos precisa ser feito com a avaliação da equipe que acompanha as intervenções com a criança e respeitando também as práticas baseadas em evidências já reconhecidas para o TEA.

Conclusão

A tecnologia assistiva desempenha um papel transformador na educação de crianças autistas, proporcionando oportunidades significativas para o desenvolvimento de suas habilidades e potencializando suas capacidades únicas.

Ao incorporar essas tecnologias no ambiente educacional, pais, familiares e profissionais contribuem para um cenário mais inclusivo e favorável ao crescimento dessas crianças.

Dessa forma, a tecnologia assistiva não apenas se torna uma aliada na educação de crianças autistas, mas também promove um ambiente educacional mais equitativo e adaptado às diversas formas de aprendizado.

Acreditamos que, ao compreender e utilizar adequadamente essas ferramentas, podemos construir um futuro mais inclusivo e capacitador para todas as crianças, independentemente de suas necessidades especiais.

Para continuar aprendendo sobre o assunto e entender mais sobre a CAA no desenvolvimento de crianças no espectro, leia nosso conteúdo sobre o assunto:

CAA para autismo

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul