Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
duas mulheres aparecem brincando com uma criança em frente a uma mesa de vidro com varios blocos coloridos

Como ajudar uma criança autista? Confira 9 dicas para realizar em casa

Uma das maiores preocupações da família de uma criança autista é sobre o desenvolvimento, pensando em situações futuras e como eles poderão se tornar cada vez mais independentes e autônomos em suas rotinas.

Esse é um sentimento bastante comum de muitas famílias, independente do momento em que ela está, seja de descoberta de um diagnóstico, onde os desafios são muito grandes, até uma rotina mais estruturada com um autista já adulto.

É importante que as pessoas cuidadoras entendam que são agentes de transformação na vida de pessoas autistas, atuando como peças fundamentais na contribuição do desenvolvimento de jovens e crianças com TEA.

Nesse aspecto, conseguimos criar oportunidades de estímulos em todos os momentos, fora do é proposto nas intervenções terapêuticas e ambientes clínicos, buscando colocar em prática ações do dia a dia que possam ajudar no desenvolvimento dentro do núcleo familiar e no ambiente da casa.

Pensando nisso, 3 profissionais do nosso time clínico separaram dicas para ajudar você a estimular e ajudar no desenvolvimento da criança autista dentro de casa: Thalita Sanchez, terapeuta ocupacional, Caroline Rorato, coordenadora ABA e Victória Girão, coordenadora de fonoaudiologia.

Como faço para ajudar meu filho autista no seu desenvolvimento?

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades na comunicação e interação social e pela presença de padrões de comportamentos restritos e repetitivos. Por isso, além de trazer dificuldades nas interações sociais, ele também muda a forma como a pessoa no espectro percebe e se comunica com o mundo.

Dessa forma, as intervenções para autismo são a maneira mais assertiva de garantir que o indivíduo diminua as possíveis barreiras no repertório e potencialize o desenvolvimento de habilidades. Com uma equipe multidisciplinar, é possível ter estratégias compostas por profissionais de áreas diversas, alinhados em conquistar objetivos semelhantes e complementares no tratamento de uma mesma pessoa.

Mas elas não podem se limitar apenas ao espaço clínico, e a família precisa garantir que ambientes como a casa, escola e espaços de lazer, também funcionem como oportunidades de aprendizagem, já que esses estímulos, em diferentes ambientes, ajudam no aprendizado, uma vez que pessoas autistas podem apresentar dificuldade de generalização.

Já que quando falamos de desenvolvimento de novas habilidades, ela é uma peça fundamental para que os comportamentos aprendidos sejam mantidos ao longo do tempo de maneira autônoma.

Conheça 9 dicas de como ajudar uma criança autista

Sabemos que é fundamental entender a individualidade de uma criança autista, mas é muito importante também lembrarmos que cada criança tem um perfil específico já avaliado pela equipe que acompanha o desenvolvimento dela.

Por isso, é essencial alinhar todas as dicas com essa equipe antes de colocar em prática, entendendo se isso se encaixa na rotina, repertório e perfil de aprendizado dessa criança.

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com mulher acompanhando uma criança em suas brincadeiras.

Dicas de Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional é um campo de conhecimento de intervenção em saúde, educação e esfera social que foca na autonomia de pessoas que apresentam dificuldades na participação e inclusão da vida social.

Seu objetivo principal é promover, manter e desenvolver habilidades necessárias para que pessoas com TEA possam se adaptar de forma funcional ao dia a dia em diferentes ambientes.

Para ajudar pais com filho autista, a terapeuta ocupacional da Genial Care, Thalita Sanchez, separou 3 dicas que você pode aplicar no dia a dia da sua família.

  1. Caça ao tesouro: use potes de diferentes aberturas para retirar peças de brinquedos, quebra-cabeças e outros objetos que sejam reforçadores para a criança. Essa atividade pode contribuir para o desenvolvimento da integração motora bilateral (uso das duas mãos), graduação de força, motricidade fina e coordenação olho-mão.
  2. Circuito motor: você pode elaborar um caminho utilizando materiais que tem em casa, como, por exemplo: almofadas, puffs, cadeira e sofá. Com esse espaço é possível estimular a subida, descida, pulos e o engatinhar. Essa é uma brincadeira que além de muito divertida, auxilia no desenvolvimento motor e práxis (ideação, planejamento e execução motora)
  3. Utilização dos talheres: que tal proporcionar momentos de utilização independente com os talheres na hora da comida? Aqui é possível usar a colher para comer um danone, garfo para espetar frutas cortadas, faca sem serra para cortar alimentos macios, sempre com supervisão constante. Essa atividade vai promover um grau maior de independência em uma atividade de vida diária, que é a alimentação.

Além disso, um ponto reforçado pela Thalita é o de usar atividades da vida diária para criar oportunidades de aprendizado e desenvolvimento de habilidades. Essas são ações recorrentes e que podem ser exploradas com pouco esforço para promover independência e estimular hábitos saudáveis.

“Deixe que a criança escove os dentes dela, mesmo que não seja uma escovação completa, permitindo que ela explore a boca, a escova, a pasta de dente. Essa é uma atividade que ajuda a promover independência e estimular as habilidades da escovação.”

Dicas de Fonoaudiologia

A Fonoaudiologia é a especialidade que trabalha com diferentes aspectos da comunicação humana, focando em diminuir barreiras de linguagem e distúrbios da fala. Seu principal objetivo é ajudar pessoas a se comunicarem de maneira mais funcional, auxiliando na qualidade de vida e bem-estar.

Quando pensamos na fonoaudiologia no autismo, estamos falando de profissionais que integram a equipe multidisciplinar visando viabilizar a comunicação, especialmente a aquisição e o desenvolvimento da linguagem, além de habilitar e reabilitar, quando necessário, aspectos relacionados à audição, alimentação e voz.

A coordenadora de fonoaudiologia da Genial Care, Victória Girão, também separou 3 dicas que você pode aplicar no dia a dia do seu filho autista.

  • 4. Crie situações para que a sua criança tenha a oportunidade de fazer pedidos: você pode colocar itens de preferência (objetos, brinquedos, fruta, por exemplo) em um local que ela não consiga pegar sem precisar da sua ajuda. Ao perceber que ela está tentando fazer isso, se aproxime e aguarde ela te chamar para pegar o item. Nesse momento ajude a criança a apontar e diga a ela o nome do objeto e/ou “me ajuda”. Dessa forma, é possível favorecer o entendimento da criança de você como um parceiro de comunicação que ela pode recorrer para pedir ajuda sempre que precisar, fazer pedidos de coisas que deseja alcançar e/ou compartilhar outras informações.
  • 5. Nomeie itens enquanto faz tarefas: Enquanto você e seu filho autista estão fazendo tarefas que participam normalmente juntos em casa, obtenha a atenção dele e nomeie o que vocês estão fazendo (principalmente os itens/objetos). Por exemplo: Enquanto você o ajuda a tomar banho, descreva as ações: “Estou lavando o seu pé”, “Vou abrir o chuveiro”. Dessa forma, estamos oferecendo oportunidade de ampliar o vocabulário (conhecimento das palavras) da criança.
  • 6. Estímulo à participação na rotina de casa: sempre que possível, peça ao seu filho que participe das rotinas da casa e ofereça a ele oportunidades de compreender ações simples que estão sendo pedidas. Por exemplo: Chame-o para montar a mesa do almoço. Ofereça a instrução: “Pegue/pega a colher!”. Outro exemplo pode ser o momento da escolha da roupa que seu filho vai usar: “Pegue a calça”. Depois de usar os brinquedos, solicite: “Guarda a bola na caixa”. Dessa forma, você consegue estimular a compreensão (ou entendimento) das palavras que estão sendo ditas com frequência para ele.

Dicas de ABA

A ABA (Análise do Comportamento Aplicada) é a ciência da aprendizagem utilizada como embasamento para o atendimento de pessoas com transtornos do desenvolvimento como, por exemplo, o autismo. Seu foco está em promover o ensino de novas habilidades e a ajuda a lidar com comportamentos desafiadores.

Por meio dessa ciência, os profissionais analisam o comportamento de uma pessoa, entendendo como e porque eles acontecem, observando assim quais são as influências ambientes que se relacionam com esses comportamentos e como é possível criar estratégias para ensinar novas habilidades.

A coordenadora de ABA da Genial Care, Caroline Rorato, também separou 3 dicas que você pode aplicar no dia a dia do seu filho autista para ajudar no desenvolvimento.

  • 7. Previsibilidade é tudo: é muito importante para a criança autista entender como vai ser o dia dela, se puder adicionar imagens nesse aspecto, com um suporte visual, melhor ainda. Caso tenha um evento diferente na rotina, conte como vai ser, mostre fotos, quem vai estar, como vão se locomover até lá. Quanto mais previsibilidade, melhor.
  • 8. Ofereça modelos de fala durante ações: caso note uma dificuldade de fala, tente dar um modelo de exemplo do que a criança está querendo dizer. Por exemplo, se você entregou um brinquedo e ela empurrou com a mão, você pode verbalizar a frase modelo: “não quero mamãe” e dizer que entendeu o que ela está comunicando. Aqui também é muito importante dar o entendimento de gestos sociais, sinalizando junto da fala, como: oi, tchau, vem, espera, não, sim, etc.
  • 9. Deixe os brinquedos disponíveis: quando deixamos tudo guardado e arrumado, diminuímos o contato e consequentemente a motivação das crianças com os brinquedos ou objetos que podem ser itens de aprendizado durante o dia. Além disso, é interessante deixar os itens à mostra em caixas transparentes, estimulando que ele peça por eles, apontado ou verbalizando.

Se você é pai, mãe ou cuidador de um filho autista e está procurando intervenções para ajudar no desenvolvimento da criança autista, nós podemos ajudar. Acesse o banner abaixo e preencha o nosso formulário de serviço para conhecer um pouco mais sobre a Genial Care.

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora?