Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
menino de óculos jogando xadrez

Atividades extracurriculares para promover a integração social de crianças com autismo

A integração sensorial é uma das práticas mais conhecidas da Terapia Ocupacional para autismo. Com ela, é possível ajudar pessoas com dificuldades sensoriais, melhorando o processamento de sons, texturas, cheiros, movimentos e gostos, por exemplo.

Com isso, é muito importante buscar novos métodos eficazes que ajudem na promoção dessa integração sensorial de crianças com autismo, nos diversos ambientes, como casa e escola.

Assim, olhar para as atividades extracurriculares que podem proporcionar bem-estar para autistas com crises sensoriais, é uma ótima forma de garantir qualidade de vida para essas pessoas, não importa onde elas estejam.

Neste artigo, exploraremos como a integração sensorial desempenha um papel fundamental na vida dessas crianças e como as atividades extracurriculares podem ser uma ferramenta valiosa para estimular essa integração. Confira na leitura!

O que é Integração Sensorial no autismo?

mulher e criança brincando em uma sala de integração sensorial

A integração sensorial é um processo neurológico pelo qual o cérebro organiza, interpreta e cria significado para as informações sensoriais provenientes do ambiente e sentidos, como visão, audição, tato, olfato e paladar.

Para as crianças com autismo, a integração sensorial pode ser um desafio, já que o cérebro de alguém no espectro pode processar e responder a estímulos sensoriais de maneira diferente. Isso pode levar a dificuldades na regulação emocional, na interação social e no desempenho funcional.

Dessa forma, estimular a integração sensorial é crucial para ajudá-las a compreender o mundo ao seu redor e desenvolver habilidades sociais essenciais, fornecendo experiências terapêuticas estruturadas e cuidadosamente planejadas para desenvolver e aprimorar a forma como o cérebro processa e integra as informações sensoriais recebidas pelo ambiente.

As dificuldades do Processamento Sensorial no autismo

Muitas crianças com autismo também podem apresentar Transtorno do Processamento Sensorial (TPS), uma condição na qual o sistema nervoso apresenta dificuldade para processar estímulos do ambiente e dos sentidos.

Isso pode resultar em reações atípicas a estímulos cotidianos, como evitar contato físico, hipersensibilidade ao som ou hiperreatividade a determinados odores. Essas dificuldades podem interferir na participação em atividades sociais e extracurriculares.

Assim, entendemos que:

  • Hipersensibilidade: é quando a pessoa sente demais os estímulos. Por isso, os sons podem ser, por exemplo, mais altos e estímulos visuais muito fortes;
  • Hipossensibilidade: o indivíduo precisa de muito esforço para sentir qualquer tipo de estimulação. Por isso é comum que pessoas com hipossensibilidade estejam sempre agitadas e em movimento.

É importante lembrar que, a própria disfunção do processamento sensorial pode apresentar diferentes diagnósticos dentro e fora do TEA. Essas diferenças ajudam profissionais de terapia ocupacional e a própria família a entenderem qual tipo de intervenção sensorial e atividades extracurriculares podem ajudar aquele indivíduo.

Entre as classificações diagnósticas do Transtorno do Processamento Sensorial estão:

  • Transtorno de modulação sensorial: dificuldade para regular grau, intensidade e natureza das respostas dos estímulos sofridos;
  • Transtorno de discriminação sensorial: gasta mais energia para identificar diferenças e semelhanças dos estímulos;
  • Transtornos motores com base sensorial: dificuldade para absorver informações do próprio corpo e reagir de forma coerente com o ambiente.

A Integração Sensorial nas Atividades Extracurriculares

pai e filha sentados na cama lendo um livro

Conseguimos entender que, para pessoas atípicas, é preciso aprender como lidar e processar as informações sensoriais recebidas pelo ambiente. Assim, esse aprendizado precisa ser ensinado em diversas práticas de T.O. que favorecem a recepção e resposta adaptativa ao meio.

Assim, as atividades extracurriculares podem ser uma poderosa ferramenta para promover a integração social em crianças com autismo, dentro e fora da escola, já que elas podem funcionar como uma parte extra da grade pedagógica e podem até mesmo serem feitas em centros educacionais que a criança já frequenta.

Essas atividades oferecem oportunidades valiosas para desenvolver habilidades de comunicação, interação e coordenação, ao mesmo tempo que proporcionam um ambiente seguro e estruturado para a prática da integração sensorial, seja de forma individualizada ou em grupo.

A seguir, separamos algumas atividades extracurriculares que podem ajudar na rotina de crianças com TEA. Mas atenção, é fundamental respeitar o perfil específico de cada criança e entender o que faz ou não sentido de acordo com as necessidades individuais.

Nem todas as crianças podem gostar das mesmas atividades e está tudo bem, o ideal é conversar com os pequenos e entender quais práticas deixam ele confortável e respeitam seu nível de desenvolvimento.

  • Oficinas de Arte e Artesanato: Estimulam a criatividade e a expressão emocional, além de envolverem o tato e a visão em diversas atividades manuais;
  • Contação de histórias: Livros, desenhos, teatros e fantoches são ótimas maneiras de envolver a criança na contação de histórias, criando uma narrativa lúdica e imaginativa para estimular o raciocínio;
  • Aulas de Música: A musicoterapia pode ter um efeito calmante e ajudar na expressão emocional. Aprender a tocar instrumentos ou cantar em grupo promove a interação social e a coordenação motora;
  • Brincar de circo: Seja em uma aula de circo ou de uma forma mais improvisada, essa é uma das atividades super divertidas para ajudar na coordenação motora, concentração e imaginação. Aqui é possível fazer cambalhotas, dar pulos, praticar carretas e se fantasiar. Tudo isso ajuda no desenvolvimento da consciência corporal e colaboram para autoconfiança;
  • Esportes em Equipe Adaptados: Jogos em equipe incentivam a cooperação, a comunicação não verbal e melhoram a coordenação e o equilíbrio.
  • Natação: Assim, como outras atividades físicas, muito recomendado para crianças, a natação é uma atividade extracurricular que trabalha o corpo de forma completa, além de ajudar a criança a trabalhar o contato visual e instruções bem objetivas.
  • Terapia com Animais: A interação com animais pode ser reconfortante e estimulante, ajudando as crianças a desenvolverem habilidades sociais, assim práticas como a Equoterapia podem ser benéficas nesse sentido.
  • Xadrez: O jogo estimula o desenvolvimento ao melhorar a concentração, desenvolver o raciocínio lógico, promover habilidades sociais, aumentar a paciência e a tolerância à frustração, estimular a criatividade e a imaginação, e fortalecer a autonomia e autoestima.

Além de promover a integração sensorial, as atividades extracurriculares oferecem uma série de benefícios para crianças com autismo.

Elas podem ajudar a reduzir a ansiedade, melhorar a autoestima, aumentar a concentração, aprimorar as habilidades motoras e facilitar a interação social com colegas e professores.

Além de brincadeiras e atividades fora de casa, também é possível fazer ações mais simples, como usar massinha de modelar, criar brinquedos sensoriais ou fazer algo mais calmante para ajudar a se regular emocionalmente.

O importante é respeitar o interesse da criança e aproveitar para construir cada vez mais momentos incríveis.

Conclusão

As atividades extracurriculares têm um papel significativo na promoção da integração social de crianças com autismo.

Ao compreender a importância da integração sensorial e suas dificuldades, podemos escolher atividades adequadas que contribuam para o desenvolvimento emocional, social e físico das crianças.

Oferecer oportunidades inclusivas é essencial para o crescimento e a felicidade de cada criança com autismo, permitindo que ela alcance seu máximo potencial em um ambiente acolhedor e enriquecedor.

Já temos um texto sobre brincadeiras que podem ajudar na integração sensorial de crianças com autismo, vale a pena ler e continuar aprendendo:
5 Brincadeiras de integração sensorial para crianças com TEA

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora?