História do autismo Greta Thunberg e autismo: imagem mostra manifestação e greta ao centro de várias pessoas com cartazes em sueco

Greta Thunberg e o autismo: ativista ambiental é conhecida no mundo todo

Foto do author Gabriela Bandeira

Gabriela Bandeira

08 de junho de 2022

O nome de Greta Thunberg tornou-se mundialmente conhecido em 2018. Dentre todos os detalhes da história da ativista ambiental, um que chamou atenção de muitas pessoas é o fato dela ter recebido o diagnóstico de autismo aos 12 anos. 

Na época, o laudo de Greta foi baseado em manuais como o DSM-4, da Associação Americana de Psiquiatria, e por isso ela recebeu o diagnóstico de Síndrome de Asperger. Neste artigo, contamos mais sobre a história da ativista ambiental. 

Greta e o ativismo ambiental 

Em 2018, Greta Thunberg começou a faltar às aulas nas tardes de sexta-feira com um objetivo: protestar pela criação de políticas públicas em defesa do meio-ambiente. Assim, invés de caminhar até a escola, ela ia para a sede do parlamento sueco com cartazes para fazer sua manifestação. 

Não demorou até que o movimento iniciado por ela atraísse a atenção de estudantes na Europa e em outras partes do globo. Foi assim que começou o Fridays for Future (Sextas pelo futuro, em tradução para o português). 

Mas mesmo antes disso, a adolescente já havia feito a diferença em casa. Começando pelos pais, ela convenceu a família a criar estratégias para emitir menos poluentes para o meio ambiente. 

A atuação de Greta frente ao ativismo ambiental se tornou rapidamente conhecida em todo o mundo e chegou até a Organização das Nações Unidas (ONU), onde ela foi convidada a palestrar durante a conferência sobre mudanças climáticas (COP 25), que aconteceu em 2019 em Madrid, na Espanha. 

Na ocasião, ela demonstrou que seu empenho em salvar o meio ambiente era tão efetivo que se recusou a viajar até o local de avião. Assim, para evitar a emissão de poluentes, Greta fez o trajeto de mais de dois mil quilômetros a bordo de um veleiro. 

Ainda no mesmo ano, Greta foi considerada pessoa do ano pela Revista Time, além de antes ter estado em uma lista com as 100 pessoas mais influentes do mundo na mesma revista. Também foi reconhecida como uma das 100 mulheres mais poderosas do mundo de acordo com a Forbes e recebeu duas indicações ao prêmio Nobel da Paz. 

Greta Thunberg e o autismo 

Por outro lado, a história de Greta também começou a atrair muitos olhares quando foi revelado que ela havia sido diagnosticada com Síndrome de Asperger – uma forma de autismo – aos 12 anos. 

Antes do diagnóstico, porém, Greta chegou a passar dois meses internada em uma clínica devido a uma perda de peso severa ocasionada por uma seletividade alimentar – uma característica muitas vezes presente em pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)

Além do diagnóstico sobre o autismo de Greta Thunberg, tanto a própria Greta quanto a família dela já divulgaram que ela recebeu outros laudos, de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) e mutismo seletivo.

Falando de autismo, especificamente, Greta já foi questionada em algumas entrevistas sobre o diagnóstico na adolescência e se isso a mudou de alguma forma. 

Isso me torna diferente, e ser diferente é um dom, eu diria. Também me faz ver as coisas de fora da caixa. Eu não caio facilmente em mentiras, eu posso ver através das coisas. Se eu tivesse sido como todo mundo, eu não teria começado essa greve escolar, por exemplo”, disse em uma entrevista para a BBC

Além dela, muitas outras pessoas recebem o diagnóstico tardio de autismo. Para saber mais sobre autismo em adultos, continue no nosso blog

Foto do author Gabriela Bandeira

Escrito por:

Gabriela Bandeira

Qual é a sua relação com a criança autista?*