Banner do post TDAH e autismo: entenda a relação entre os transtornos
Banner do post TDAH e autismo: entenda a relação entre os transtornos

TDAH e autismo: entenda a relação entre os transtornos

Muitas vezes o autismo pode ser confundido com o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade). Isso acontece porque os dois transtornos afetam o desenvolvimento neurológico e apresentam sinais visíveis já na primeira infância. 

Apesar disso, tanto o TEA quanto o TDAH têm diferenças entre si e podem – ou não – ser diagnosticados num mesmo indivíduo. Neste artigo, explicamos mais sobre as relações e diferenças entre os transtornos. 

O que é TDAH?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico. Ele também pode ser chamado de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção) e seu diagnóstico é puramente clínico, dependendo de avaliação neuropsicológica. 

Suas causas são genéticas e os sinais aparecem na infância, acompanhando o indivíduo por toda a sua vida. 

Sintomas de TDAH

O TDAH se caracteriza pela combinação de dois tipos de sintomas. São eles:

  • Desatenção;
  • Hiperatividade-Impulsividade. 

Sintomas em crianças

Em crianças, o TDAH muitas vezes pode ser identificado quando ela apresenta dificuldades na escola e no relacionamento com outras crianças, pais e professores. É comum se referirem a elas como crianças “avoadas”, que “vivem no mundo da lua” ou que parecem “ligadas no 220”, ou seja, não param quietas nem por um segundo. 

Os meninos normalmente apresentam mais sintomas de hiperatividade do que as meninas, mas ambos apresentam comportamentos de desatenção. Além disso, tanto crianças quanto adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como dificuldades em lidar com regras e limites.

Sintomas em adultos

Já em adultos os sintomas de desatenção podem ser notados mais facilmente em tarefas do cotidiano e relacionadas à memória. Além disso, outros sinais de atenção são: 

  • Inquietude (parecem relaxar somente quando adormecem);
  • Mudar de uma atividade para outra;
  • Impulsividade;
  • Dificuldade em avaliar o próprio comportamento e como isso afeta quem está à sua volta;
  • Entre outros. 

Outro fator que está relacionado ao TDAH em adultos é  a alta frequência de outros problemas associados, como abuso do uso de álcool e drogas ou transtornos ansiosos e depressivos.

Incidência 

De acordo com a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), o TDAH ocorre em 3 a 5% das crianças, em várias regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado. Em mais da metade dos casos registrados, o transtorno continua a acompanhar o indivíduo na vida adulta, embora os sintomas de inquietude sejam mais brandos nesta fase.

O que é autismo? 

O autismo, por outro lado, é um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades em duas áreas: 

  • Dificuldades na interação e comunicação social;
  • Presença de padrões de comportamentos restritos e repetitivos. 

Assim como no caso do TDAH, os sinais de autismo surgem na primeira infância e acompanham o indivíduo durante toda a vida. Crianças e adultos com TEA podem apresentar diferentes níveis de necessidade de suporte. O que significa que, enquanto alguns têm facilidade de realizar qualquer atividade pessoal e da vida diária, outros precisam de apoio para as atividades básicas, como tomar banho, se vestir e se alimentar.

Qual a diferença entre TDAH e autismo?

Ass diferenças entre TDAH e autismo se relacionam ao campo de dificuldade, enquanto crianças com TDAH têm em geral maior dificuldade no controle inibitório, crianças com TEA apresentam maior dificuldade na flexibilidade cognitiva e planejamento. 

E isso se desdobra no fato de que aqueles que apresentam exclusivamente TDAH terão menos dificuldades sociais e mais dificuldades de atenção, enquanto aqueles diagnosticados apenas com autismo, terão mais comprometimento nas relações sociais e linguagem e menos na concentração e atenção.    

Quem tem TDAH pode ter autismo?

É comum, ainda, que o diagnóstico de autismo venha associado a umas ou mais condições, o que chamamos de comorbidades. Assim, uma pessoa diagnosticada com TEA pode, também, receber o diagnóstico de TDAH. O contrário também é possível. Ou seja, uma pessoa diagnosticada com TDAH pode estar também no espectro do autismo.

Além disso, estudos já realizados apontam uma relação genética entre autismo e TDAH. De acordo com os resultados das pesquisas, os genes associados ao TDAH também aumentam os riscos para outros transtornos, como ansiedade, depressão ou autismo. Mas ainda é preciso que sejam realizados mais estudos para que essa relação seja melhor compreendida. 

As estimativas ainda dizem que 14% das crianças com TDAH também podem estar no espectro do autismo, e até 80% das pessoas com TEA apresentam o TDAH como comorbidade. 

Como são feitas as intervenções para autismo e TDAH?

As intervenções para pessoas com autismo são feitas por meio de uma equipe multidisciplinar, transdisciplinar ou interdisciplinar. Normalmente, elas são baseadas na Análise do Comportamento Aplicada (ABA), e tem como objetivo principal ajudar no desenvolvimento de novas habilidades e manejo de comportamentos desafiadores. 

Já no caso do TDAH, além da terapia comportamental, em alguns casos é necessário a indicação de medicamentos para controlar os sintomas. No caso de um diagnóstico onde os dois transtornos estão juntos, cabe aos profissionais que atendem o indivíduo entenderem quais as melhores opções de intervenção e medicação para a qualidade de vida dele. 

Para continuar a aprender mais sobre autismo e transtornos relacionados, acesse nosso blog.