Genial Care

Pesquisar
Pesquisar
Vineland: mãe segura bebê no colo e sorri

Escala Vineland: protocolo para medir o comportamento adaptativo

A Vineland Adaptative Behavior Scales (Escalas Vineland de Comportamento Adaptativo, em tradução para o português) é um instrumento de avaliação do comportamento adaptativo que pode ser aplicado desde o nascimento até a idade adulta (90 anos).

O principal objetivo da sua utilização é identificar critérios que podem ajudar no diagnóstico de deficiências intelectuais e transtornos do desenvolvimento. Além de servir como apoio para profissionais clínicos na elaboração de planos educacionais e intervenções que auxiliam na autonomia do indivíduo.

A escala Vineland é um dos protocolos usados na clínica da Genial Care para avaliação da criança, junto ao Denver II. Neste artigo, explicamos mais detalhes sobre a avaliação e sua importância no processo de elaboração da intervenção ABA< para o autismo.

O que avalia a escala Vineland?

O principal objetivo da escala Vineland é avaliar os comportamentos adaptativos da pessoa. Ou seja, identificar se ela tem habilidades que permitem que se adapte efetivamente em diversos ambientes: em casa, na escola, no trabalho e na comunidade de modo geral.

Quando falamos de pessoas com desenvolvimento atípico, como deficiência intelectual, é comum identificar limitações nesses comportamentos adaptativos. Sendo assim, conquistar a independência pode ser algo mais dificultoso para as pessoas com desenvolvimento considerado típico.

Por esse motivo, a aplicação da Vineland é necessária. É por meio desta avaliação que será possível medir os comportamentos adaptativos e, a partir daí, planejar intervenções para ajudar em seu desenvolvimento e autonomia.

Além disso, ela ainda ajuda as pessoas cuidadoras a entenderem mais sobre as dificuldades da criança e saber como agir.

Como funciona?

A Vineland tem um tempo de aplicação que varia entre 30 minutos e 1 hora e meia e avalia 117 itens/comportamentos. Ela é usada para medir o comportamento adaptativo de indivíduos com:

  • Deficiências intelectuais e de desenvolvimento;
  • Transtorno do Espectro Autista (TEA);
  • Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH);
  • Lesão cerebral pós-traumática;
  • Deficiência auditiva e visual;
  • Doença de Alzheimer.

Dentro dela, o comportamento adaptativo na escala é subdividido em 5 grandes áreas:

  1. Comunicação (67 questões) – subdividida em receptiva, expressiva e escrita;
  2. Habilidades Diárias (92 perguntas) – habilidades pessoais, domésticas e comunitárias;
  3. Socialização (66 questões) – relações interpessoais, brincadeiras e lazer, habilidades de enfrentamento;
  4. Habilidades motoras (36 questões) – motricidade grossa e habilidades motoras fina;
  5. Comportamento Desajustado (36 questões) – projetado para avaliar comportamentos mal-adaptativos, como obstinação, impulsividade, teimosia, agressividade, ansiedade, introversão, negativismo, alteração de humor etc.

A partir desta separação, surgem outros modelos da escala Vineland:

Vineland II

Desenvolvida pela psicóloga Sara S. Sparrow e revisada nos anos de 1984, 2005 e 2008, a Vineland II está organizada em torno de 4 grandes domínios que, por sua vez, se subdividem em 11 subdomínios:

  1. Comunicação – Receptiva, Expressiva e Escrita
  2. Autonomia – Pessoal, Doméstica e Comunitária
  3. Socialização – Relações Interpessoais, Lazer e Regras Sociais
  4. Função Motora – Fina e Grossa.

Vineland III

A Vineland III foi desenvolvida pela Dra Celine Saulnier, membra do conselho clínico da Genial Care, em 2016. As mudanças propostas tiveram como base todo trabalho desenvolvido anteriormente por Sara Sparrow.

Nela, os principais domínios mensurados são:

  • Comportamento adaptativo;
  • Comunicação;
  • Habilidades cotidianas;
  • Socialização;
  • Habilidades motoras;
  • Comportamentos mal adaptados.

Sua aplicação no Brasil consiste em três formulários de aplicação:

  1. Formulário de Entrevista – com escores normativos para todas as idades
  2. Formulário de Pais/Cuidadores – com escores normativos para todas as idades
  3. Formulário dos Professores – com dados normativos para examinados de 03 a 21 anos de idade.

Sendo que cada um deles está disponível em uma versão extensa (mais longa) e uma versão de níveis e domínio (mais curta).

Quem pode aplicar?

Assim como ocorre com o Denver II, a recomendação é que a escala Vineland deve ser aplicadaapenas por profissionais da psicologia, psiquiatria, terapia ocupacional, neuropsicologia e profissionais da área da saúde.

Na Genial Care, o uso do Vineland faz parte do nosso processo de avaliação da criança junto ao protocolo Denver II.

Já para as pessoas cuidadoras, usamos avaliações como Mindfull selfcare scale, responsável por avaliar o bem-estar, uma vez que a saúde do núcleo familiar também é importante no processo de desenvolvimento. Conheça mais sobre nossos serviços!

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora? Conheça a Sessão Azul: cinema com salas adaptadas para autistas Síndrome sensorial: conheça o transtorno de Bless, filho de Bruno Gagliasso Escala M-CHAT: saiba como funciona! Déficit na percepção visual: Como a terapia ocupacional pode ajudar? 3 aplicativos que auxiliam na rotina de crianças autistas 3 Animações que possuem personagens autistas | Férias Geniais Conheça os principais tratamentos para pessoas no espectro autista Diagnóstico de autismo do meu filho. O que preciso fazer? Quais os principais sinais de que meu filho tem autismo? Diagnóstico de autismo: quais os próximos passos. Veja 5 dicas Estereotipias: o que são e quais as principais em pessoas autistas Graus de autismo: Conheça quais são e como identificá-los