ABA e intervenções para autismo uma mulher negra está ensinando uma criança alguma lição, ambo estão sorrindo

Certificação ABA: o que é e como se tornar um aplicador

Foto do author Heloise Rissato

Heloise Rissato

04 de agosto de 2022

Cada vez mais, as opções de atuação relacionadas a Análise do Comportamento Aplicada (ABA) para pessoas com TEA, têm crescido no Brasil. Nesse aspecto, existe uma grande discussão na área sobre uma certificação ABA para os profissionais que usam essa ciência em seus atendimentos.

Isso porque, quando pensamos na formação dos terapeutas do nosso país, não existe nenhum tipo de critérios para regulamentação para aqueles que trabalham diretamente como analistas do comportamento.

Dessa forma, isso pode gerar muitas dúvidas para as famílias e pessoas cuidadoras na hora de entender o que é e como encontrar terapeutas ABA realmente capacitados para as demandas da criança. Além disso, muitos profissionais acabam se intitulando especialistas em ABA, mesmo sem conseguir aplicar as estratégias desta ciência de maneira correta.

Por isso, neste artigo, vamos falar sobre a certificação em terapia ABA, como ela funciona hoje em dia no Brasil e o que profissionais podem fazer para se especializar.

O que é “certificação ABA”?

Um certificado ABA seria um documento oficial para comprovar que terapeutas que atuam com TEA têm conhecimento dessa ciência e das práticas baseadas em evidências aplicadas nas sessões, como a avaliação funcional e as intervenções baseada em antecedentes, por exemplo.

Atualmente no Brasil não temos uma regulamentação oficial para certificação ABA. Isso porque, essa especialização não é obrigatória no território nacional, o que acaba contribuindo para que muitos terapeutas não qualificados usem de forma errada os princípios desta ciência, gerando crenças falsas, como a robotização do indivíduo.

O mais próximo que temos sobre uma certificação ou regulamentação da especialidade em ABA é a acreditação da ABPMC (Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental). Ela é uma espécie de selo concedido para os prestadores de serviços em Análise do Comportamento Aplicado ao TEA/Desenvolvimento Atípico.

Profissionais que desejam ter esse selo precisam ter uma qualificação de nível superior que trabalhe com o conhecimento científico e filosófico de Análise do Comportamento e do Behaviorismo Radical.

Para que o terapeuta consiga essa acreditação da ABPMC é preciso se encaixar em 3 requisitos específicos de:

  • formação acadêmica;
  • licença profissional — consideradas para cada agente de ensino das intervenções baseadas em ABA, podendo ser Supervisor, Coordenador ou Aplicador;
  • práticas supervisionadas.

Além disso, profissionais precisam enviar documentos que comprovem a atuação na área e fazer a renovação constante da acreditação enviando comprovantes regulares de atividades de formação contínua.

É importante ressaltar que já foram aprovados os requerimentos para a ABPMC oferecer essa certificação ABA para quem trabalha com pessoas no espectro, mas tudo ainda está em fase de implementação. Logo teremos uma nova possibilidade de aprimorar ainda mais os serviços prestados.

O que temos hoje em certificação ABA no Brasil?

Atualmente, profissionais brasileiros podem receber a certificação BCBA (Board Certified Behavior Analyst), que é um certificado dado a todos que atuam com as práticas de ABA nos Estados Unidos e em vários outros países.

Para ter esse certificado é preciso se cadastrar no site oficial da BCBA, enviando os documentos e informações necessárias para a análise, e depois realizar a prova. Mas, antes disso, profissionais precisam cumprir alguns critérios de elegibilidade, que são:

  • ter um diploma de uma universidade acreditada (ou seja, que segue os padrões estabelecidos pelo Board);
  • completar um curso em análise do comportamento que corresponda a uma pós-graduação (a grade curricular é revisada pelos membros do BACB, para ver se ela se encaixa nos critérios estabelecidos);
  • ter prática supervisionada em análise do comportamento.

Apesar dessa certificação ser obrigatória no território norte-americano, para todas as pessoas que pretendem trabalhar como analista de comportamento, ela não é obrigatória no Brasil. Por isso, nem todo terapeuta ABA possui um BCBA.

Como profissionais que querem atuar com a ABA podem se capacitar?

Como não temos essa exigência brasileira de um BCBA ou de uma certificação ABA oficial, muitos analistas de comportamento podem ficar com dúvidas de como se especializarem e se manterem qualificados para atuar com essa ciência.

O mais recomendado é procurar o nível de pós-graduação na área, o que irá atestar a qualificação profissional para a atuação. Nesse aspecto, é super importante que o terapeuta tenha sido supervisionado por profissionais que já tenham experiência clínica em ABA para o autismo.
Além disso, existem muitos cursos livres em especialização em ABA para quem deseja aumentar o repertório de conhecimento e aprimorar ainda mais o seu método de trabalho, entregando qualidade e bem-estar para famílias e crianças com TEA.

Mas, é fundamental procurar uma especialização que seja certificada pelo MEC, seja ela uma pós-graduação ou um curso livre.
O ideal para quem deseja atuar com ABA é procurar se aperfeiçoar constantemente por meio de estudo e dedicação no assunto, já que se trata de uma ciência, a produção de conhecimento não para, e por isso, é fundamental estar sempre atualizado com novos dados, pesquisas e informações.

QABA

Além do BCBA, existe o Qualified Applied Behavior Analysis Credentialing Board, uma agência internacional que também oferece alguns treinamentos e certificações para os profissionais que desejam se aprimorar em ABA.

Atualmente, existem 3 níveis de credenciamento ofertados por eles:

  • ABAT (Applied Behavior Analysis Technician);
  • QASP-S (Qualified Autism Service Practitioner-Supervisor);
  • QBA (Qualified Behavior Analyst).

Todos esses níveis são obtidos por meio de critérios que consideram a formação acadêmica, os cursos de capacitação e as horas de experiência profissional, além de um processo de avaliação bem cuidadoso e constantemente renovado.

Importância da certificação para profissionais ABA

Um dos maiores benefícios do curso ABA para os profissionais é a garantia de qualidade no atendimento que as famílias procuram. Além disso, essa especialização também é uma maneira de terapeutas aplicadores se diferenciarem dentro de um mercado bastante competitivo.

Como no Brasil a profissão de analista do comportamento não é regulamentada, qualquer pessoa pode dizer que é um analista. Assim, essa qualificação mostra um compromisso com a profissão e com os indivíduos no espectro.

Todas as certificações disponíveis não existem apenas para que um profissional acumule diploma, mas para que as famílias que buscam esse profissional, possam encontrar alguém capacitado, atualizado, e mais do que isso, que siga os preceitos éticos para os atendimentos. Mas não podemos esquecer que, apesar desse curso de aplicadores ABA ser muito importante, não é somente ele que vai garantir qualidade nas intervenções. Existem várias habilidades e competências que vão além de um selo.

Por isso, pessoas cuidadoras precisam tomar alguns cuidados na hora de selecionar um profissional, questionando sobre as avaliações que serão feitas, investigando o currículo, e mantendo a comunicação sempre aberta para entender como o cronograma das terapias irá funcionar.

A família precisa se sentir segura, confortável e acolhida pelo profissional que irá atender a criança e oferecer orientação para todos envolvidos no processo de aprendizagem.

Em nosso blog temos diversos conteúdos focados nas famílias e cuidadores:

Acesse agora

Foto do author Heloise Rissato

Escrito por:

Heloise Rissato

Qual é a sua relação com a criança autista?*

Ei, você gostou
do conteúdo? 😄

Responda 4 perguntas abaixo e nos ajude a criar conteúdos mais relevantes para você:

Qual seu e-mail*

Qual desses três grupos você faz parte? *

Qual desses assuntos mais te interessa?

Você encontrou o que procurava?