Genial Care

Pesquisar
Pesquisar
BCBCA: folha de prova com assinaturas

BCBA: tudo sobre a certificação para profissionais ABA

O Board Certified Behavior Analyst (BCBA) é um certificado concedido a profissionais que atuam com práticas da Análise do Comportamento Aplicada (ABA) nos Estados Unidos e em alguns outros países. No território norte- americano, esse documento é obrigatório para aqueles que pretendem trabalhar como analistas do comportamento, e é preciso realizar uma prova para obtê-lo.

No Brasil, a certificação BCBA e registros e credenciais para a profissão de analista do comportamento também não são obrigatórios, uma vez que aqui não é considerado uma profissão, mas sim uma orientação filosófica/teórica/científica para prestação de serviços. Isso faz com que muitos profissionais se digam terapeutas ABA, mesmo sem conseguir aplicar as estratégias desta ciência de maneira correta.

Como resultado, temos pessoas mal assistidas e famílias que não conseguem encontrar profissionais realmente capacitados para ajudar no desenvolvimento de quem precisa desta ciência, como é o caso de quem tem Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Neste artigo, vamos explicar mais sobre o BCBA e outras certificações para terapeutas ABA.

O que é BCBA?

O BCBA é a certificação de pós-graduação em análise do comportamento concedida pelo Behavior Analyst Certification Board (BACB). Os profissionais com nível BCBA são independentes e podem prestar serviços pautados na ciência da Análise do Comportamento Aplicada (ABA) no território norte-americano.

Para conseguir o certificado, é necessário que profissionais realizem uma prova. No entanto, mesmo antes de fazer a avaliação são exigidos alguns critérios que vão eleger aquele candidato como apto para passar pelo processo de certificação BCBA.

Por que essa certificação é importante?

Certificações como o BCBA são essenciais para garantir que profissionais que trabalham com ABA passem por avaliação. Isso é, que entende e sabe aplicar as estratégias desta ciência de forma correta. Além disso, significa que o trabalho foi supervisionado e aprovado por profissionais com capacitação comprovada e que já atuam há muito tempo com a Análise do Comportamento Aplicada nos EUA.

Por meio deste certificado, o BACB pretende introduzir e avaliar:

  • Padrões de prática
  • Fornecimento de requisitos de ética e um sistema disciplinar

Quem pode tirar o certificado BCBA?

Até este momento, o BACB aceita requerimentos para quem deseja se tornar profissional com certificado BCBA de todos os países, mediante alguns critérios de elegibilidade que são avaliados antes da realização da prova (falaremos mais sobre eles a seguir).

Sendo assim, profissionais da área da psicologia que residem no Brasil podem acessar o site oficial e enviar os documentos e informações necessárias para a análise antes de realizar a prova do BCBA.

A partir de 2023, no entanto, o BACB vai passar a aceitar apenas pedidos de certificação de residentes dos Estados Unidos, Canadá, Áustria e Reino Unido.

Critérios para certificação BCBA

Como explicamos anteriormente, antes de realizar a prova para certificação BCBA, é preciso que a pessoa candidata cumpra alguns critérios de elegibilidade. Alguns deles são:

  • ter um diploma de uma universidade acreditada (ou seja, que segue os padrões estabelecidos pelo Board)
  • completar um curso em análise do comportamento que equivalha a uma pós-graduação (a grade curricular é revisada pelos membros do BACB, para ver se ela se encaixa nos critérios estabelecidos)
  • ter prática supervisionada em análise do comportamento.

Para aqueles que se aplicarem até janeiro de 2022, existem três opções para conseguir o BCBA:

Tabela BCBA

BCBA no Brasil: profissionais brasileiros podem receber a certificação?

Sim, no momento profissionais do Brasil podem se cadastrar no site oficial da BACB para que seus documentos e informações sejam analisadas e consigam realizar a prova para o BCBA. Essa prática também é a mesma para quem reside em qualquer outro país. No entanto, a partir de 2023 apenas pessoas residentes dos Estados Unidos, Canadá, Áustria e Reino Unido serão consideradas para obter o certificado BCBA.

Existem outras certificações além do BCBA?

Apesar da certificação para analista do comportamento não ser obrigatória no Brasil, existe a acreditação da ABPMC. Esse é uma espécie de selo concedido pela Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental (ABPMC).

Diferente dos Estados Unidos, que certifica apenas profissionais da área da psicologia e saúde, no Brasil a Análise do Comportamento não é considerada uma profissão, mas sim uma orientação filosófica/teórica/científica para prestação de serviços.

Quem pode se certificar para receber o selo da ABPMC são profissionais com qualificação de nível superior que trabalham com o conhecimento científico e filosófico de Análise do Comportamento e do Behaviorismo Radical, e que estejam de acordo com os critérios e os procedimentos de trabalho dessas áreas.

No entanto, vale ressaltar que no momento a ABPMC está trabalhando na criação de uma certificação específica para atendimento de pessoas no espectro autista.

Por que não podemos simplesmente trazer o BCBA para o Brasil?

Pode parecer mais simples trazer o BCBA para o Brasil ao invés de trabalhar na criação de um novo selo. Mas a realidade pode parecer bem diferente.

Existem divergências entre as opiniões de profissionais que atuam com as práticas ABA no Brasil quanto a essa questão. Enquanto um grupo acredita que essa opção seria a mais viável, outro grupo pensa que o trabalho desenvolvido aqui não deveria se submeter a parâmetros de outro país no que diz respeito à própria atuação profissional.

Como saber se profissionais que atendem minha família têm certificação?

Antes de iniciar as intervenções, é essencial que a família conheça e investigue o currículo dos profissionais que vão atuar diretamente com a criança. Isso porque, como dissemos anteriormente, a certificação para atuar com ABA aplicada ao autismo ainda não é obrigatória no país, o que contribui para que muitos terapeutas não qualificados façam um uso totalmente errado dos princípios desta análise.

Por isso, é preciso tomar alguns cuidados antes de selecionar esse profissional. Aqui vão alguns deles:

  • Visite a clínica e conheça o local
  • Investigue o currículo de profissionais e, se sentir necessidade, peça que mostrem mais detalhadamente a experiência na área e com pessoas no espectro do autismo (as plataformas Lattes e Linkedin podem ajudar com isso)
  • Entenda como vai funcionar o cronograma das terapias e quais orientações você vai receber
  • Questione sobre as avaliações que serão feitas para mostrar o progresso da criança nas terapias, de quanto em quanto tempo serão entregues, se vão conversar com a família sobre etc.

Lembre-se, profissionais podem não ter um certificado BCBA, mas podem ter o selo de acreditação da ABPMC.

Qualidade vai além de certificação

Apesar da importância de ter uma certificação, é fundamental entender que somente ela não garante a qualidade dos profissionais e das intervenções que serão aplicadas. Existe uma série de habilidades e competências que vão além do selo. Alguns que a família precisa estar atenta são:

  • Graduação: é importante saber se o profissional possui graduação completa na área de atuação que presta o serviço
  • Especialização certificada pelo MEC: confirme se a especialização em ABA foi emitida por uma instituição certificada pelo MEC
  • Experiência: a experiência clínica também é importante, para entender há quanto tempo aquele profissional atua, se já teve contato e atendeu pessoas no espectro do autismo etc.

No fim, é um conjunto de fatores que vai determinar se profissionais trabalham seriamente com a ciência ABA e as intervenções para o autismo.

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora? Conheça a Sessão Azul: cinema com salas adaptadas para autistas Síndrome sensorial: conheça o transtorno de Bless, filho de Bruno Gagliasso Escala M-CHAT: saiba como funciona! Déficit na percepção visual: Como a terapia ocupacional pode ajudar? 3 aplicativos que auxiliam na rotina de crianças autistas 3 Animações que possuem personagens autistas | Férias Geniais Conheça os principais tratamentos para pessoas no espectro autista Diagnóstico de autismo do meu filho. O que preciso fazer? Quais os principais sinais de que meu filho tem autismo? Diagnóstico de autismo: quais os próximos passos. Veja 5 dicas Estereotipias: o que são e quais as principais em pessoas autistas Graus de autismo: Conheça quais são e como identificá-los