Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
mulher e menina olhando para um celular

Como oferecer um ambiente terapêutico inclusivo para pessoas autistas

Para muitas pessoas com autismo, é fundamental que exista um ambiente físico feito para promover a interação e acelerar o aprendizado. Dessa forma, proporcionar um ambiente terapêutico inclusivo é fundamental para promover o bem-estar e o desenvolvimento saudável de pessoas autistas.

Com pequenas adaptações e um olhar focado em garantir conforto e oportunidades de aprendizagem, é possível criar um ambiente inclusivo nas terapias multidisciplinares, visando o desenvolvimento de habilidades e bem-estar das pessoas no espectro.

Assim, é fundamental que profissionais clínicos compreendam a importância de criar um espaço acolhedor, adaptado e inclusivo. Oferecendo para famílias e crianças com TEA um ambiente propício em alcançar o máximo potencial.

Neste artigo, vamos entender como oferecer um ambiente terapêutico inclusivo e compartilhar dicas valiosas sobre como tornar esse espaço pensado para pessoas autistas. Confira!

Criando um ambiente terapêutico inclusivo

Ao criar um ambiente terapêutico inclusivo, é essencial considerar diversos aspectos que contribuem para participação ativa, segurança emocional e o desenvolvimento das pessoas autistas integralmente.

Essas adaptações abrangem desde aspectos físicos e sensoriais até o apoio visual e a formação de uma equipe especializada e engajada durante as intervenções para pessoas com TEA.

Adaptações físicas

A primeira etapa para criar um ambiente terapêutico inclusivo é realizar adaptações físicas no espaço garantindo que ele não crie uma sobrecarga sensorial ou emocional em pessoas atípicas.

Isso envolve o uso de iluminação adequada, cores suaves e neutras nas paredes, redução de ruídos excessivos e a móveis que possam agregar no desenvolvimento de pessoas, como uma sala sensorial, por exemplo.

A organização do ambiente de forma clara e previsível, pensando em orientação espacial, com espaços segmentados para diferentes atividades, também ajuda a proporcionar uma sensação de segurança e tranquilidade para pessoas autistas.

terapeuta e criança em sala multissensorial
sala multissensorial Genial Care

Estímulo sensorial controlado

As pessoas autistas muitas vezes têm uma sensibilidade sensorial aumentada, o que pode tornar determinados estímulos bastante incômodos, levando até uma crise sensorial. Dessa forma, para oferecer um ambiente terapêutico inclusivo, é essencial controlar esses estímulos.

Uma boa dica para salas de intervenção, ou até mesmo espaços inclusivos, é fornecer fones de ouvido com cancelamento de ruído para reduzir o barulho excessivo e dispor de materiais sensoriais variados, como texturas e aromas, permitindo que pessoas autistas possam explorá-los em seu próprio ritmo e sem sentir qualquer sobrecarga ou desregulação.

Comunicação e apoio visual

Como o Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades na comunicação e interação social, sabemos que a comunicação é fundamental para o desenvolvimento e a interação das pessoas autistas.

Assim, um ambiente terapêutico inclusivo deve utilizar suportes visuais para auxiliar na compreensão e na organização do tempo e das atividades.

Quadros de comunicação visual, agendas visuais e outras ferramentas que facilitem a expressão e a compreensão de informações importantes são ótimas maneiras de reduzir a ansiedade e promover uma maior autonomia antes, durante e após as sessões.

Equipe treinada e engajada

terapeutas Genial Care conversando na frente do computador

Uma das partes mais importantes de um ambiente terapêutico acolhedor é a presença de uma equipe profissional capacitada, engajada e empática, sempre atualizada em estratégias para o desenvolvimento de pessoas autistas.

Na Genial Care, nossa equipe multidisciplinar é formada por profissionais da psicologia, terapia ocupacional e fonoaudiologia que possuem expertise em autismo. Todo nosso time clínico está constantemente atualizado sobre as melhores práticas e estratégias terapêuticas para oferecer um atendimento de qualidade.

Se você é um profissional da fonoaudiologia, terapia ocupacional ou ABA para autismo e busca uma oportunidade inovadora para fazer a diferença na vida de crianças com autismo e suas famílias, a Genial Care é o lugar perfeito para você.

Nossa clínica multidisciplinar está com vagas de fono, expandindo sua equipe e buscando fonoaudiólogos comprometidos e talentosos para se juntarem a nós nessa transformação.

Oferecemos um ambiente de trabalho colaborativo, infraestrutura moderna e recursos atualizados para o desenvolvimento profissional contínuo.

Além disso, você terá a chance de trabalhar lado a lado com uma equipe experiente de especialistas multidisciplinares, proporcionando uma abordagem abrangente e integrada em todo o processo.

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com mulher acompanhando uma criança em suas brincadeiras.

Benefícios de um ambiente terapêutico inclusivo para pessoas autistas

Um ambiente terapêutico inclusivo proporciona um espaço propício para o desenvolvimento de habilidades sociais, comunicação e interação emocional das pessoas autistas.

Ao criar um ambiente que valoriza a diversidade e promove a inclusão, é possível estimular interações positivas entre os indivíduos, permitindo que eles se sintam confortáveis para se expressar e se relacionarem uns com os outros.

Isso contribui para o fortalecimento das habilidades sociais, como a comunicação não verbal, a reciprocidade e o desenvolvimento de relacionamentos significativos, e é claro, autonomia e independência para as atividades da vida diária.

Além disso, um ambiente inclusivo e pensado em pessoas autistas ajuda na:

  • Redução da ansiedade e do estresse;
  • Promoção da autonomia e autoconfiança:
  • Estabelecimento de parceria com a família;
  • Intervenções com mais oportunidades de aprendizado e ganho de habilidades.

Conclusão

Oferecer um ambiente terapêutico inclusivo é de extrema importância para proporcionar o melhor suporte às pessoas autistas antes, durante e até mesmo após as intervenções.

Ao considerar as adaptações físicas, estímulos sensoriais controlados, comunicação visual e formação de uma equipe especializada, é possível criar um ambiente que promova o desenvolvimento, a autonomia e a inclusão de todas as pessoas no espectro, não importa qual idade elas tenham.

Além disso, é importante lembrar que mesmo que essas dicas tenham sido voltadas para um ambiente terapêutico, elas podem ser estendidas para qualquer espaço da sociedade, ajudando na criação de ambientes inclusivos para pessoas neurodivergentes.

Ao olharmos para as individualidades de cada um, conseguimos potencializar a discussão sobre representatividade e também aumentar espaços onde as pessoas se sintam seguras, confortáveis e pertencentes.

Um exemplo disso são as salas multissensoriais que foram criadas em alguns aeroportos do Brasil. Leia mais sobre isso clicando no botão abaixo:
Salas Multissensoriais em aeroportos

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul