Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
pai e filha fazendo massa de bolo

A ligação entre o vínculo parental e a aprendizagem infantil

A jornada da aprendizagem infantil é um período de descobertas, explorações e crescimento constante. Nesse sentido, o estabelecimento do vínculo parental e afetivo é essencial para a construção dos relacionamentos interpessoais e identidade da criança.

Isso acontece desde a primeira infância, entre 0 a 6 meses de idade, um período muito importante para o desenvolvimento mental, social e emocional dos pequenos. É a partir dessas ligações entre a família, especialmente os pais, que a criança começa a entender o mundo e também seus próprios sentimentos e emoções.

Para crianças atípicas essa jornada pode apresentar desafios únicos, principalmente quando falamos das relações sociais e comunicativas, por conta de dificuldades de entender e sentir o mundo ao seu redor.

No entanto, independentemente das circunstâncias, o vínculo parental ainda é primordial para incentivar o desenvolvimento infantil e ajudar na construção de um futuro com mais autonomia e independência.

Neste artigo, exploraremos a ligação profunda entre o vínculo parental e a aprendizagem na infância, destacando como os laços familiares fortalecem a capacidade da criança de aprender, crescer e prosperar. Confira!

O que é vínculo parental ou parentalidade?

pai e filho sorrindo na praia

Nos últimos anos, termos como vínculo parental ou parentalidade tem sido usado com mais frequência. Embora algumas pessoas possam achar que o termo é óbvio, esses termos carregam muitas outras definições e questões por trás, que dizem respeito à relação entre pais e filhos, e não somente de forma biológica.

Parentalidade é um termo para destacar toda e qualquer ação de pais, mães e outras pessoas cuidadoras, colocadas em prática durante toda a jornada de desenvolvimento dos filhos, principalmente quando pensamos em crianças e adolescentes.

É claro que essa relação vai muito além dos cuidados básicos, como alimentação, higiene e vestuário. Ela também considera práticas ligadas às emoções e comportamentos da rotina.

Como é criado o vínculo parental?

Esse vínculo parental é algo tão poderoso e fundamental nos relacionamentos com outras pessoas. É ele que nos conecta com o outro e cria uma relação confortável de troca, afeto e aprendizado.

Chamamos de vínculos os laços entre as pessoas. Aquela conexão especial e profunda que pode ser criada entre pais e filhos, irmãos, avós e outras pessoas que fazem parte do convívio, até mesmo os animais de estimação.

Ele acontece em qualquer relação de cuidado entre um responsável principal e a criança, independente do grau de parentesco ou ligação sanguínea.

Imagine que você está em um parque com sua criança e vocês estão brincando juntos na gangorra e sorriem um para o outro. Esse é um momento de vínculo entre vocês. Ou então, quando você chega em casa e ela corre para te abraçar, também é um sinal de vínculo.

Indo além da relação com os pais, sabe quando você observa sua criança com o terapeuta e percebe o quanto ela se interessa pelas brincadeiras e se mantém sempre próxima dele? Esse pode ser um sinal de vínculo também, já que ela está confortável naquele momento.

Essa conexão pode ser construída de diferentes maneiras, fortalecendo o vínculo parental e potencializando a aprendizagem infantil ao longo do desenvolvimento da criança.

O vínculo parental e a aprendizagem infantil

 

Durante essa confiança e compreensão mútua que se desenvolve ao longo do tempo, as famílias conseguem proporcionar um sentimento de segurança, apoio e aceitação para as crianças.

Esse sentimento de ligação, confiança e proximidade é fundamental para o desenvolvimento saudável e o bem-estar emocional da criança, principalmente por possibilitar que se sintam seguras e confiarem no outro.

Por isso, é fundamental que a criança estabeleça uma relação de vínculo tanto com seus cuidadores quanto com outras pessoas que convivem com ela, como os terapeutas e outros familiares.

Para potencializar esse processo, existem algumas maneiras de desenvolver essa conexão e impactar positivamente o desenvolvimento da criança:

  • Confiança e exploração: Crianças que se sentem seguras em sua relação com os pais têm mais confiança para explorar o mundo ao seu redor. A confiança é um fator-chave na disposição de uma criança para experimentar novas situações e aprender com elas;
  • Comunicação afetiva: O vínculo parental fortalece a comunicação entre pais e filhos. Uma comunicação aberta e saudável é essencial para compreender as necessidades da criança, seus interesses e suas áreas de dificuldade, permitindo que os pais adaptam o ambiente de aprendizagem de acordo;
  • Regulação Emocional: Crianças com um vínculo seguro têm maior facilidade em lidar com suas emoções. Isso é crucial para lidar com as frustrações e desafios que frequentemente acompanham o processo de aprendizagem;
  • Modelagem de Comportamento: Os pais desempenham um papel importante como modelos de comportamento para seus filhos. Um vínculo positivo permite que os pais demonstrem habilidades sociais, emocionais e cognitivas saudáveis, que a criança pode assimilar e aplicar em sua própria jornada de aprendizagem.

O brincar como forma de estabelecer o vínculo durante a aprendizagem

pai e filho brincando com caixa de papelão em casa

Por meio dessa criação de vínculos parentais é possível construir uma educação socioemocional efetiva, para que as crianças cresçam emocionalmente e se tornem adultos com atitudes mais saudáveis nas suas relações.

Ao ajudar uma criança nessa fase você está proporcionando elementos e oportunidades de aprendizagem para que ela descubra e desenvolva suas potencialidades, além de trabalhar o desenvolvimento cognitivo e as habilidades socioemocionais como a calma, empatia, conhecimento e resiliência.

Uma das maneiras mais eficazes de estabelecer um vínculo forte e saudável com a criança é por meio do brincar, já que são momentos leves e de diversão. Para aproveitá-los e ajudar na aprendizagem, você pode:

    • Aproveitar os interesses e preferências da criança para sugerir brincadeiras;
    • Criar um ambiente adequado e seguro para o brincar, com os brinquedos disponíveis na altura da criança, não ter muitos brinquedos espalhados e não ter objetos que possa se machucar;
    • Seguir o ritmo da criança, por exemplo, aproveitar os objetos que ela pegar para poder seguir a brincadeira dela;
    • Utilizar estratégias de comunicação, como emitir sons durante as brincadeiras, cantar músicas relacionadas com os objetos selecionados e descrever com comentários o que estão fazendo;
    • Ser flexível e criativo, estando aberto a novas formas de brincar, por exemplo, brincar que um cubo é uma bola ou que o carrinho pode voar.

Conclusão

O vínculo parental é uma força poderosa por trás do desenvolvimento e da aprendizagem infantil, seja típico ou atípico. Para crianças no espectro, essa conexão emocional desempenha um papel ainda mais crucial.

Cultivar um ambiente de amor, confiança e comunicação enriquece a jornada de aprendizado da criança, ajudando-a enfrentar desafios e alcançar todo o seu potencial ao longo da vida.

Saiba que, à medida que você nutre o vínculo com seu filho, você está construindo as bases para um futuro repleto de descobertas e conquistas.

Em nosso blog, temos um conteúdo sobre aproveitar os momentos de lazer com a criança da melhor forma possível, que pode ajudar na hora de construir vínculos mais poderosos. Que tal continuar aprendendo com essa leitura?
Como aproveitar momentos de lazer com crianças autistas?

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul