Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
Menina dormindo. Ela tem autismo e sono

Autismo e sono: qual a relação?

Existe uma relação entre o autismo e sono que prejudica o bem-estar de pessoas no espectro e seus respectivos cuidadores. Segundo a Academia Americana de Neurologia, há um estudo que demonstra que até 80% das crianças com TEA possuem dificuldades para dormir, resultando em um período noturno estressante para o núcleo familiar.

Menina com autismo e sono. Ela não consegue dormir e se mantêm deitada com os olhos abertos

O distúrbio do sono pode aparecer ainda na fase da primeira infância em crianças típicas e atípicas, mas em crianças com TEA o risco é ainda mais elevado, principalmente quando o autismo acompanha alguma comorbidade, como, por exemplo, a deficiência intelectual, cujo dos impactos está ligado diretamente ao sistema nervoso.

Entender e buscar ajuda em relação aos impactos do autismo e sono ainda na infância, é essencial, pois podem agravar os sinais associados a:

  • Desatenção;
  • Irritabilidade;
  • Hiperresponsividade sensorial;
  • Comorbidades como: problemas gastrointestinais e epilepsia.

Para te ajudar, separamos alguns cuidados para criar um ambiente mais favorável ao sono. Com base nessas recomendações, é importante que você pense quais mudanças são possíveis para construir uma rotina de sono saudável para sua filha(o).

Qual a relação entre autismo e os problemas no sono?

Conforme o Instituto do Sono, distúrbios do sono em pessoas com autismo podem estar relacionados a desequilíbrios no ritmo cardíaco. O ritmo cardíaco, por sua vez, é o principal regulador das mudanças fisiológicas diárias no corpo humano, funcionando como um “relógio biológico” que envia sinais ao cérebro sobre a hora adequada para dormir e descansar.

A desregulação do sono também está ligada à falta de produção e liberação da melatonina em pessoas no espectro autista. A melatonina é um dos hormônios que deve ser produzido no período noturno, responsável por enviar o estímulo ao cérebro indicando que é hora de relaxar para adormecer.

Esse déficit na produção de melatonina pode estar ligada diretamente à alteração genética em pessoas com TEA.

Por que é importante se preocupar com a relação entre autismo e sono?

Assim como dissemos na introdução deste texto, a falta de sono pode ser prejudicial para o bem-estar de pessoas autistas, bem como afetar a rotina saudável de suas pessoas cuidadoras.

O momento do sono é um período inteiramente dedicado para descanso, a falta dessa atividade de “revitalização” do corpo e da mente pode interferir em atividades da rotina diária, deixando a pessoa com autismo indisposta e desestimulada para desenvolver as ações.

Até mesmo o processo de alfabetização pode ser prejudicial, pois noites mal dormidas resultam em uma piora na atenção, além da falta de receptividade para receber estímulos, devido ao cansaço físico.

Como melhorar o sono no autismo?

É importante lembrar que existem profissionais especializados para auxiliar a família a entender e ajudar nesse processo de distúrbio do sono. Consulte seu pediatra para garantir que passos saudáveis estão sendo seguidos e que acolhem a criança.

Além disso, cada pessoa possui um perfil sensorial, com uma percepção singular do mundo ao redor, sendo preciso entender a forma que a pessoa recepciona os estímulos e como eles vão impulsionar no desenvolvimento e até na rotina de sono.

Um exemplo disso é: pessoas com TEA podem preferir atividades que estimulam o corpo e gastam energia. Isso pode resultar em um sono mais tranquilo ou na necessidade de um banho quente para relaxar.

Existem outros estímulos, listamos abaixo algumas dicas:

1. Cuidados gerais para crianças com autismo dormir melhor

O quarto da criança deve ser propício ao sono. Isso quer dizer um ambiente quieto, com uma temperatura agradável e pouca luz. Eletrônicos como TV, iPad ou videogame não devem estar ligados durante o período de dormir.

2. Lidando com barulhos e ruídos

Barulhos domésticos comuns, como a TV ligada ou a água corrente no banheiro podem afetar o sono de uma criança diagnosticada com TEA, devido à hipersensibilidade sensorial.

Caso não seja possível evitar esses barulhos, uma sugestão é criar sons mais confortáveis para chamar a atenção da criança, e assim fazer com que ela não se incomode com o barulho original.

Normalmente esse novo som é chamado de ruído branco. Pode ser o som de um ventilador de teto, de um purificador de ar ou mesmo o som de um instrumento tocado no seu celular.

3. Incômodos com a textura do lençol ou pijama

Muitas crianças podem apresentar desconforto com a textura da roupa de cama ou do pijama. É importante escolher um pijama confortável e com poucas estampas. Caso sua filha(o) já seja maior, escolha junto com ela(e) o pijama e o lençol mais confortável.

4. Alimentação antes de dormir

Antes de dormir, evite alimentos e bebidas muito calóricas ou com cafeína. Refrigerantes ou doces muito gordurosos podem despertar a criança e dificultar a rotina do sono.

5. Atividade tranquilas antes de dormir

É importante que a criança não faça atividades muito intensas antes de dormir. Brincadeiras muito agitadas ou que demandem muito exercício físico devem ser evitadas, assim como brincar com celular, tablet, televisão ou videogame. O ideal é evitar essas atividades no mínimo 30 minutos antes da hora de dormir.

6. Impacto de medicamentos

Alguns medicamentos podem interferir no sono da criança. Se seu filho estiver tomando algum remédio, recomendamos que você consulte o médico sobre possíveis efeitos colaterais.

Muitas vezes, mudar a hora de tomar o remédio já pode ajudar. Em relação a medicamentos para dormir, só devem ser utilizados se recomendados pelo médico.

Caso a dificuldade de dormir permaneça, é importante envolver uma equipe clínica para te ajudar.

Conclusão

Como vimos, autismo e sono a relação entre autismo e sono é complexa e multifacetada, afetando significativamente o bem-estar de pessoas no espectro e seus cuidadores. As causas para os distúrbios do sono podem ser variadas, desde desequilíbrios no ritmo circadiano e produção de melatonina até fatores sensoriais e comorbidades.

Aqui na Genial Care contamos com uma rede de cuidado de saúde atípica referência na América Latina, que oferece intervenção nas áreas de Terapia Ocupacional, Terapia ABA e Fonoaudiologia de qualidade para crianças com TEA, além de orientação parental para as pessoas cuidadoras.

Se você é cuidador de uma criança autista, mora na grande São Paulo e quer saber mais sobre nossa clínica multidisciplinar para cuidado e desenvolvimento, clique no banner abaixo para preencher nosso formulário que entraremos em contato com você!

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora?