Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
Sessão Azul: crianças assistindo filme no cinema.

Sessão Azul: conheça o cinema adaptado para autistas

Muitas famílias buscam por salas adaptadas de cinema para autista. Isso porque, apesar de algumas crianças e adultos com o transtorno conseguirem vivenciar a experiência sem desconforto, muitas precisam de um espaço com ajuste de luminosidade e som, por exemplo.

Essa pode ser uma questão de famílias com pessoas no espectro, constantemente em busca de espaços inclusivos de lazer para levar seus filhos. Todo espaço pode – e deveria – estar apto a receber pessoas autistas.

Como cinemas são ambientes que envolvem um fluxo grande de pessoas e bastante estímulos sensoriais, isso pode dificultar ou até mesmo contribuir para uma experiência não tão agradável para quem tem TEA.

Nesse aspecto, nasceu o Sessão Azul, um projeto de cinema para autista que conta com sessões adaptadas para crianças com distúrbios sensoriais e seus familiares.

Além de ser uma forma de garantir que pessoas com TEA possam aproveitar, ele também ajuda a expandir o diálogo sobre os espaços de lazer inclusivos e os direitos dos autistas, em diferentes âmbitos.

Neste texto, você vai entender melhor o que é esse cinema para autistas, como ele funciona e quais outras iniciativas existem para garantir lazer, bem-estar e diversão para pessoas no espectro.

Existem salas adaptadas de cinema para autista?

Atualmente, existe o Projeto de Lei (PL 133/2019) que assegura o acesso de pessoas com autismo a salas de cinema, incluindo a realização obrigatória de sessão adaptada para pessoas com TEA.

De autoria do Deputado Federal Augusto Coutinho, o texto foi aprovado em novembro de 2022 pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados.

Na sua proposta, os cinemas brasileiros são obrigados a oferecerem 2% das sessões em formato adaptado, identificando as salas aptas com o símbolo mundial da conscientização do espectro autista. Símbolo esse usado para mostrar a inclusão e direitos de pessoas com autismo.

O projeto prevê algumas alterações que, se forem feitas, já tornam o ambiente mais inclusivo para pessoas no espectro ou com transtorno do processamento sensorial, como:

  • adequações luminosas;
  • adequações do volume sonoro.

A proposta está em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas Comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência; e de Constituição e Justiça da Câmara.

Vale ressaltar que, mesmo sem lei oficializada, qualquer rede de cinema pode adaptar suas sessões para torná-las mais inclusivas e receber, de forma mais confortável e segura, pessoas neurodivergentes.

Conheça a Sessão Azul: cinema adaptado para autistas

Criado por duas psicólogas, a Sessão Azul é um projeto focado em ajudar famílias a encontrar ambientes inclusivos para levar suas crianças, já que ainda é comum que muitas delas sofram ao sair de casa e se sintam julgadas nas reações das pessoas a partir dos comportamentos de seus filhos autistas.

Nessa sala adaptadas de cinema para autista, todas as sessões são adaptadas com sons mais baixos e luz acessa, para que as crianças com distúrbio sensorial se sintam mais confortáveis durante todo o filme.

Além disso, não são passados trailers comerciais que não façam parte do filme, e todos podem entrar e sair quando quiser, dançar, gritar ou cantar à vontade.

Outra característica muito importante da Sessão Azul é que as sessões funcionam como uma extensão do trabalho terapêutico já realizado com as crianças, diminuindo barreiras e aumentando o engajamento dos pais nos processos de intervenção.

Isso porque, a criança está em um ambiente mais cotidiano, e a família pode praticar os aprendizados e estimular ela em um lugar diferente da sala de terapia ou de ambientes onde a intervenção ocorre, promovendo a generalização.

A ideia surgiu de uma inspiração do Cinematerna, uma iniciativa de sessões de cinema para mães (e pais) com bebês de até 18 meses, seguidas de bate-papo sobre maternidade e pós-parto.

As sessões são sempre realizadas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal e Pará. É possível acompanhar a programação direto do site do projeto.

A iniciativa é feita em parcerias com as redes de cinema como Cinemark, Cinépolis e UCI, por exemplo, e conta ainda com voluntários treinados para saber como lidar com situações que podem ocorrer durante o filme.

Filmes nacionais que falam sobre autismo

Como parte do lazer inclusive, junto da Sessão Azul e salas adaptadas de cinema para autistas, existem algumas obras brasileiras que falam sobre TEA e trazem a perspectiva nacional para o cinema.

Isso porque, mesmo com o aumento de séries e filmes sobre autismo, a produção ainda é majoritariamente internacional, focando em obras contadas através de pessoas norte-americanas ou de outras nacionalidades.

Mesmo sendo algo positivo que ajuda na diversidade e representatividade audiovisual quando falamos de pessoas com deficiência, ainda são poucos os filmes nacionais que também contam sobre pessoas autistas e brasileiras.

Pensando no Dia do Cinema Brasileiro, comemorado em 19 de junho, e também em iniciativas como a Sessão Azul, separamos 2 documentários nacionais que falam sobre autismo e trazem pessoas autistas.

Em um mundo interior

Em um Mundo Interior, lançado em 2018, é um documentário brasileiro que acompanha a vida de 7 famílias que convivem com pessoas com TEA, em diferentes níveis de suporte.

Através do relato e perspectivas dessas famílias, o documentário aposta em mostrar a diversidade do autismo e como cada pessoa no espectro é única e possui suas complexidades e particularidades.

Além disso, outro ponto desse documentário é que ele tenta apresentar uma experiência sensorial diferente para quem está assistindo, a fim de criar uma maneira mais próxima de compreender como pessoas autistas enxergam o mundo ao seu redor.

Atualmente o documentário está disponível no streaming da Globo Play, como forma de série, dividido em 6 capítulos curtos.

Meu amigo Lorenzo

Lançado no Dia Mundial da Conscientização do Autismo de 2024, esse documentário nacional mostra a relação de amizade e cumplicidade de mais de 15 anos entre Lorenzo Barreto, menino autista, e André Luiz Oliveira, cineasta e músico que dirigiu o filme.

O documentário fala sobre como a musicoterapia pode ser uma terapia complementar usada nas intervenções para crianças com TEA. No caso de Lorenzo, o contato com a música foi a forma que ele encontrou de se comunicar e expressar com o mundo.

O filme narra os vários anos de trabalho clínico da musicoterapeuta Clarisse Prestes, com Lorenzo se organizando e aprendendo com música e seu interesse específico e melhora na qualidade de vida.

“Meu amigo Lorenzo” teve uma pré-estreia no dia 02/04/2024 no Cine Cultura Liberty Mall, em Brasília, e depois disso esteve em cartaz na cidade. Por enquanto, não está disponível em nenhum streaming.

Como salas adaptadas de cinema para autista ajudam no lazer de crianças no espectro?

Várias atividades de lazer, como ir a festas, shoppings, restaurantes e cinemas, podem ser bastante incômodas para pessoas autistas e suas famílias. Isso porque, esses espaços não estão preparados para receber indivíduos com alterações sensoriais.

Exatamente por isso, salas adaptadas de cinemas para autista como a Sessão Azul e outros ambientes adaptados são importantes para garantir que as crianças no espectro possam vivenciar momentos de bem-estar com a família, e aproveitar no dia a dia.

Além disso, nesse cinema as sessões contam com profissionais especializados e que podem ajudar as crianças durante a adaptação do espaço, orientando os pais em como lidar com possíveis dificuldades e permitindo o conforto no processo.
Quanto mais ambientes como esses existirem, mais oportunidades de independência criamos para que pessoas no espectro ocupem os espaços que lhes são garantidos enquanto parte da sociedade.

Fora que, estímulos e intervenções como essas são importantes para o desenvolvimento de habilidades sociais, auxiliando no aprendizado e desenvolvimento do cérebro, ligados à felicidade e alegria.

Conclusão

A iniciativa da Sessão Azul é essencial para garantir que pessoas com TEA consigam encontrar espaços de lazer acessíveis e inclusivos. Que ela seja apenas o começo de tudo que podemos construir para garantir cada vez mais acesso à comunidade autista.

Além disso, explorar o TEA por meio de filmes e obras ajuda a ampliar a compreensão sobre o transtorno e potencializa que cada vez mais pessoas se sintam representadas em diversos espaços.

Por isso, leis como a Berenice Piana — Nº 12.764 — e a Lei Brasileira da Inclusão de Pessoa com Deficiência — Nº 13,146 — são tão importantes por garantirem acesso à cultura, esporte, turismo e lazer para pessoas com deficiência.

Já que por lei, é direito de pessoas autistas terem meia entrada na participação desses eventos, estendido também para o acompanhante.

Além disso, existem muitos outros direitos assegurados a pessoas autistas e suas famílias. Saiba o que é lei e como garantir seu acesso a elas:

Conheça os direitos dos autistas

Conheça nosso atendimento para autismo

Conteúdos relacionados

Esse artigo foi útil para você?

Dia Nacional do Futebol: inclusão e emoções das pessoas com TEA Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Aprovado Projeto de Lei que obriga SUS aplicar a escala M-CHAT em crianças de 2 anos Dia mundial do Rock: conheça 5 bandas com integrantes autistas Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? Senado: debate público sobre inclusão educacional de pessoas com TEA Emoções no autismo: saiba como as habilidades emocionais funcionam Dia do cinema nacional: conheça a Sessão Azul Por que precisamos do Dia do Orgulho Autista? Conheça o estudo retratos do autismo no Brasil 2023 | Genial Care Dia Mundial do Meio Ambiente: natureza e a interação de crianças TEA Pessoas com TEA tem direito ao Benefício de prestação continuada (BPC)? Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin