Banner do post RUBI Sessões 3 e 4: Rotina diária e Reforçamento 1
Banner do post RUBI Sessões 3 e 4: Rotina diária e Reforçamento 1

RUBI Sessões 3 e 4: Rotina diária e Reforçamento 1

Esse é o terceiro volume da sequência que preparamos para apresentar o RUBI, um manual de treinamento parental que, como falamos anteriormente, tem o objetivo de capacitar cuidadores de crianças com TEA no manejo de comportamentos disruptivos.

No último texto descrevemos as duas primeiras sessões do protocolo: Princípios comportamentais e Estratégias de prevenção. Nelas são apresentadas algumas ferramentas de observação e análise do comportamento, como o modelo A-B-C para analisar uma resposta, além de estratégias importantes para impedir que o comportamento desafiador ocorra.

Essa semana apresentamos as sessões 3 e 4, para que pais e, especialmente, profissionais possam conhecer mais deste material. Vamos?

RUBI Sessão 3: Rotina diária

A terceira sessão tem como objetivo principal obter a programação diária da criança, e auxiliar os pais a identificarem formas de adaptação da rotina que podem ajudar a diminuir o surgimento de comportamentos disruptivos.

Como em todas as sessões do manual, no início é realizada a revisão das atividades de casa dos pais, e então o novo conteúdo é exposto.

Dentre os objetivos esperados para a pessoa cuidadora nesta sessão estão:

  • Descrever a rotina diária, incluindo os momentos que surgem dificuldades de manejo do comportamento da criança;
  • Sugerir estratégias preventivas apropriadas para situações representadas em pequenos vídeos, utilizados como forma de exemplificar situações desafiadoras;
  • Sugerir estratégias de prevenção efetivas considerando a rotina e os desafios da criança;
  • Construir uma rotina visual para a criança.

Tendo em vista as possíveis forma de prevenção de comportamentos desafiadores são sugeridas algumas formas: 

  • Mudar o momento da demanda;
  • Usar atividades preferidas pela criança como consequência da realização de atividades menos prazerosas;
  • Estabelecer uma rotina para as atividades de vida diária.

Além disso, os autores do RUBI oferecem algumas dicas para a construção da rotina visual, como quais materiais podem ser usados ou maneiras de representar as atividades cotidianas – com fotos, desenhos etc. 

Dentre essas recomendações, a principal é de que haja espaço para flexibilidade na criação dessa ferramenta, já que ela deve funcionar dentro daquele contexto específico. 

Sendo assim, a confecção do material e forma como ele é apresentado à criança deve variar considerando as particularidades do caso. 

O próximo tópico cobre alguns dos principais aspectos da quarta sessão do manual RUBI.

Sessão 4: Reforçamento 1

Nessa sessão o principal objetivo é que os pais foquem nos pontos fortes da criança, ou seja, naqueles comportamentos que possibilitam um desenvolvimento saudável que ela já realiza. 

A ênfase deve ser nas habilidades de vida diária que a criança realiza, porém ainda não de maneira independente, isto é, sem qualquer tipo de ajuda.

Além disso, as pessoas cuidadoras nessa etapa do manual devem identificar estímulos reforçadores e aprender como utilizá-los para favorecer o aprendizado das habilidades alvo da intervenção. 

Dessa forma, alguns dos objetivos da quarta sessão são:

  • Apresentar o conceito de reforçamento positivo;
  • Revisar os tipos de reforçadores: primários, sociais, tangíveis, atividades ou fichas;
  • Identificar reforçadores;
  • Selecionar reforçadores para a criança;
  • Usar reforçadores para mudança comportamental.

Para ajudar os familiares a atingirem esses objetivos são apresentados os conceitos e listas de passo a passo de como realizar cada etapa. Também são dados exemplos em vídeos curtos que possam representar o conteúdo que está sendo passado. 

Por exemplo, para ajudar os pais a identificarem os reforçadores os autores oferecem algumas dicas, como:

  • Perguntar para criança o que ela gosta;
  • Conversar com outras pessoas que conheçam bem a criança, como professores ou parentes próximos;
  • Apresentar opções de potenciais reforçadores e ver o que a criança escolhe;
  • Observar a criança durante seu tempo livre.

A sessão é finalizada com a apresentação da tarefa de casa que deve ser realizada para o próximo encontro, na qual os pais devem colocar em prática uma contingência de reforçamento positivo. Isto é, devem elencar uma situação na qual será utilizado um reforçador positivo para aumentar a chance de um comportamento específico ocorrer.

Se você quer saber mais sobre como o RUBI funciona, fique de olho no nosso blog!  O próximo texto da sequência apresentará as sessões 5 e 6: Reforçamento 2 e Ignorar de forma planejada.