Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
Mãe aninha seu bebê enquanto utiliza o computador para orientação parental.

Metodologia Genial: qual o papel da Genial Care na orientação parental?

A Genial Care é uma rede de cuidados com a missão de fazer com que todas as crianças com autismo atinjam o seu máximo potencial!

Fazemos isso com uma equipe multidisciplinar de terapeutas da rede genial, com profissionais da psicologia, fonoaudiologia e terapia ocupacional, que cuidam da jornada de desenvolvimento da criança, assim, projetando qualidade de vida e bem-estar.

Mas você sabia que, além de cuidar da criança, é preciso cuidar também de todo o núcleo familiar?

Por isso, oferecemos a orientação parental da Genial Care, que fortalece toda a intervenção clínica dentro de casa, e capacita e apoia as pessoas cuidadoras nessa trajetória.

Nesse artigo, você vai entender como funciona a orientação parental na Genial Care, e o porquê desse processo ser tão importante para o desenvolvimento da criança autista.

O que é orientação parental?

Treinamento parental: pai segura bebê no colo e lê um livro

A orientação parental é um processo no qual pais ou as pessoas cuidadoras de crianças com autismo recebem ajuda, apoio e orientação para entender e lidar com as necessidades de seus filhos.

O objetivo da orientação parental é auxiliar no desenvolvimento de habilidades e estratégias para cuidar de seus filhos da melhor maneira possível, especialmente quando as crianças enfrentam desafios específicos, como o autismo.

Imagine que você cuida de uma criança com autismo: a orientação parental ajudaria na compreensão do TEA, as características e como lidar com os comportamentos de seu filho.

Na orientação parental, os profissionais podem ensinar técnicas e estratégias para melhorar a comunicação, reduzir o estresse e criar um ambiente que apoie o desenvolvimento da criança.

Em resumo, a orientação parental é como um guia que ajuda os pais a serem os melhores cuidadores possíveis para seus filhos, especialmente quando eles têm necessidades especiais.

É um suporte para que os pais possam dar o melhor apoio às crianças em seu crescimento e desenvolvimento.

Estresse parental

O diagnóstico de autismo tem grande impacto em várias áreas da vida familiar, principalmente emocional/psicológico, além de afetar o financeiro e o contexto social.

O estresse parental tem sido estudado há anos pela ciência. Em 1998 foi definido pelo psicólogo Kirby Deater-Deckard, no artigo Parenting stress and child adjustment: some old hypotheses and new questions, como qualquer experiência de desconforto ou sofrimento que resulta das demandas características da parentalidade.

Essa experiência é presente na vida de todos os pais, independentemente das suas características pessoais, das habilidades da criança, de fatores sociais ou demográficos.

Impacto do diagnóstico autista nas famílias e a importância da orientação parental

mãe e filha se abraçando

Além disso, os pais de crianças com autismo estão mais propensos a sofrerem com transtornos de ansiedade, humor e sintomas obsessivos do que pais de crianças consideradas neurotípicas.

Parte importante desse processo, as pessoas cuidadoras têm o importante papel em ajudar essas crianças a aprender e se desenvolver, orientando e ensinando habilidades e comportamentos que ajudarão na vida real.

Por isso, os pais já são os professores mais naturais, independentemente de qualquer tratamento.

Entretanto, se as famílias se sentem despreparadas e inseguras com o diagnóstico de autismo, isso pode interferir no desenvolvimento da criança. Por isso, é tão importante olhar para o desenvolvimento da criança em diferentes áreas, com o social, a pessoal e a familiar, para potencializar o crescimento, a aprendizagem e desenvolver autonomia.

Como realizar orientação parental efetiva?

Além de desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento de crianças com autismo, a orientação parental oferece suporte e recursos aos pais e cuidadores, capacitando-os para melhor entender e atender às necessidades de suas crianças.

E como saber se ela é efetiva? Existem algumas recomendações por etapas, como:

1. Educação e conscientização

A primeira etapa para orientação parental eficaz é adquirir conhecimento sobre o autismo. As pessoas cuidadoras devem se educar sobre os sinais e as necessidades específicas dos filhos. Compreender o autismo é fundamental para oferecer o melhor suporte.

2. Comunicação aberta

Manter uma comunicação aberta com os terapeutas e profissionais de saúde é essencial. Os pais devem se sentir à vontade para fazer perguntas, expressar preocupações e compartilhar informações sobre o progresso das crianças.

3. Estabelecimento de metas

Trabalhe em colaboração com os terapeutas para estabelecer metas claras e alcançáveis para o desenvolvimento da criança. Ter metas específicas ajuda a direcionar o processo de intervenção.

4. Consistência

A consistência é fundamental. Tanto os pais quanto os terapeutas devem trabalhar juntos para manter rotinas e abordagens consistentes no ambiente da criança. Isso ajuda a criança a compreender e responder de maneira eficaz.

5. Aprender e aplicar estratégias

Os pais podem aprender estratégias terapêuticas para aplicar em casa. Isso pode incluir práticas de comunicação, técnicas de reforço positivo e estratégias para lidar com comportamentos desafiadores.

6. Autocuidado

Não se esqueça do autocuidado. As famílias precisam de tempo para descansar e recarregar, para estarem em seu melhor estado emocional e físico para apoiar seus filhos.

7. Rede de apoio

Busque apoio de grupos de pais, organizações locais e outras famílias que enfrentam desafios semelhantes. Compartilhar experiências e estratégias pode ser valioso.

Lembrando que cada criança com autismo é única, e a orientação parental deve ser adaptada às necessidades individuais.
A Genial Care está aqui para fornecer suporte contínuo e ajudar os pais a se tornarem agentes de transformação na vida de seus filhos!

Cuidando de quem cuida: um estudo da Genial Care sobre a orientação parental

O primeiro compromisso da Genial Care no Brasil foi a realização de um estudo que visava entender como poderíamos – de fato – atender todas essas necessidades das pessoas autistas e suas famílias.

Com o Cuidando de quem cuida descobrimos que:

  • 70% dos cuidadores se sentem inseguros quanto ao futuro e planejamento de longo prazo da criança;
  • 57% não sabe o que fazer ou como agir em momentos desafiadores com a criança;
  • 48% não tem tempo para descanso e para cuidar de si mesmo.

Com esses resultados, vimos a importância de acolher a família e entender a realidade em que ela está inserida.

Afinal, cada criança e cuidador é único e, por isso, precisa de um acompanhamento que faça sentido dentro de suas singularidades.

Orientação parental na Genial Care

Por isso, complementar à intervenção multidisciplinar da criança autista, há orientação, educação e apoio para os principais adultos responsáveis. O cuidador tem acesso a:

  • Encontros recorrentes on-line com especialistas;
  • Conteúdos disponíveis para aprender no tempo livre;
  • Acompanhamento de um agente de cuidado durante todo o processo.

Além dos encontros, a Genial Care também oferece treinamento para os cuidadores, que inclui o aprendizado de conceitos e estratégias para ajudar os pais na compreensão de comportamentos desafiadores da criança, e também aplicações e práticas de regulação emocional para os adultos de qualquer idade – diretamente responsáveis por crianças com autismo.

A saúde e o equilíbrio da família estão muito ligados ao emocional dos pais, e estamos aqui para ajudá-los a ser os verdadeiros agentes de transformação na vida dos filhos.

Além disso, essa metodologia aplicada e desenvolvida pela Genial Care tem embasamento científico e rigor clínico, ou seja, tudo está pautado na ciência.

Profissionais que cuidam de quem cuida

Os profissionais clínicos da Genial Care, que acompanham a jornada da criança autista e sua família, estão em constante treinamento e aprendizado, sempre adaptando os atendimentos de acordo com o comportamento em cada caso, para respeitar a singularidade de cada um.

Afinal, nenhuma pessoa é igual a outra, e merece ter suas particularidades respeitadas.

Quer saber mais sobre os serviços que a Genial Care oferece para impactar pessoas autistas e suas famílias? Clique no banner abaixo:

Rede de cuidado de saúde atípica

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” Divulgação estudo Genial Care O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi 10 anos da Lei Berenice Piana: veja os avanços que ela proporcionou 7 passos para fazer o relatório descritivo da criança com autismo Diagnóstico tardio de autismo: conheça a caso do cantor Vitor Fadul Meu filho foi diagnosticado com autismo, e agora?