Genial Care

Pesquisar
Dias
Horas
Minutos
quatro mulheres sentadas e sorrindo

Healthtech: como é para um terapeuta trabalhar na Genial Care?

Trabalhar como terapeuta em uma startup é uma experiência única, empolgante e repleta de desafios e oportunidades de crescimento profissional. Isso porque, para muitos profissionais clínicos, migrar para uma healthtech Healthtech é um termo usado por startups focadas no desenvolvimento de soluções para setores de saúde com base na tecnologia. é algo novo e bastante diferente do ambiente de saúde que eles estão acostumados.

Em uma healthtech como a Genial Care, a integração da tecnologia em processos terapêuticos é uma realidade diária. Aqui temos ferramentas inovadoras que auxiliam no planejamento e execução de intervenções terapêuticas eficazes, proporcionando melhor coleta de dados para nosso time clínico.

Pensando nisso, neste artigo exploraremos a realidade dinâmica de uma healthtech do setor clínico e como essa vivência pode impactar positivamente a carreira de um terapeuta.

Chamamos as terapeutas aplicadoras da Genial Care, Ketlin Souza e Suellen Ribeiro, para compartilhar sobre suas experiências trabalhando em uma startup da saúde. Confira!

Terapeuta em healthtech: a importância da tecnologia no dia a dia

Sabemos que, no contexto atual, a tecnologia desempenha um papel cada vez mais relevante no campo das terapias e intervenções para pessoas com transtornos do neurodesenvolvimento, como o autismo.

Nossa realidade está cada vez mais moldada pela inovação, e isso não é diferente na área da saúde. São grandes os avanços das ferramentas tecnológicas em healthtechs e no campo terapêutico, impulsionando resultados inovadores e eficazes.

Para Ketlin, o impacto da tecnologia fica muito claro no dia a dia como terapeuta em uma healthtech

“A equipe da área tecnológica é maravilhosa, pois, eu vejo como é necessário ter manejo e sempre estar renovando e alterando com intuito de facilitar as vidas do setor clínico”, pontua.

“As criações de novas ferramentas nos mostram o quanto eles querem ampliar e fornecer maiores equipamentos para nós terapeutas/fonoaudiólogas e terapeutas ocupacionais ou para os pais dos(as) nossos(as) pequenos(as)”.

Dessa forma, ao integrar a tecnologia no campo terapêutico, as startups estão impulsionando resultados mais eficazes e revolucionando a forma como os terapeutas abordam as intervenções para autismo.

Já Suellen ressalta sobre a coleta de dados e a importância disso ser feita com apoio da tecnologia.

“Quando falamos de ABA temos dois principais pontos, a criança e a coleta de dados, na Genial além do respeito com a criança, temos a coleta de dados com a ajuda da tecnologia, o que facilita minha atuação e acesso a esses dados, além de poder visualizar de forma mais prática para a tomada de decisão rápida e também com certeza ter maior clareza de desenvolvimento da criança e do meu trabalho”.

Ela também comenta sobre a diferença entre um ambiente clínico tradicional e uma healthtech com foco em tecnologia, em que a maior diferença está na atuação de uma empresa que faz parte do futuro.

“É um alívio saber que a minha atuação e a forma de realizar a intervenção com a criança é ampliada e melhorada a cada dia, então as vantagens no final das contas diz sobre ter consciência de uma prática de intervenção correta, respeitosa e que serve de exemplo de melhoria.”

Qual é o papel de um terapeuta?

mulher trabalhando com computador em uma healthtech

O terapeuta desempenha um papel essencial na jornada de uma criança com autismo. Sua missão vai muito além de aplicar técnicas de intervenção. Eles são, acima de tudo, facilitadores do desenvolvimento, promotores de independência e qualidade de vida.

Os terapeutas trabalham em estreita colaboração com a família da criança, oferecendo orientação e apoio para garantir que os princípios da terapia sejam aplicados em casa.

Além disso, eles ajudam as crianças a desenvolverem habilidades sociais, comunicativas e comportamentais, permitindo que elas conquistem um futuro com muito mais independência e autonomia em todos os aspectos.

Em uma healthtech, o terapeuta assume um papel ainda mais dinâmico, integrando a tecnologia nas terapias, estando em constante evolução e buscando se desenvolver de forma ágil para garantir resultados clínicos padrão ouro para as crianças.

Suellen conta sobre como a experiência ajuda na quebra de paradigmas, tanto em relação a formas de atuar em ABA, como, por exemplo, em relação ao respeito e a ética.

“Saber que possuo orientadoras e parceiros de atendimento alinhados com os valores da Genial, me faz ter vontade de trabalhar mais, pois é uma atuação respeitosa, dinâmica e divertida, no sentido de que eu tenho liberdade para ‘criar caminhos extraordinários’, de forma literal”.

O uso da tecnologia na Genial Care

Aqui na Genial Cate unimos à tecnologia as pessoas, para que toda família tenha intervenções clínicas de qualidade e suporte inovador na jornada de desenvolvimento da criança.

A tecnologia desempenha um papel fundamental no trabalho de acolhimento e previsibilidade para as famílias, pois, através de uma plataforma de comunicação e colaboração, os terapeutas trabalham em conjunto com os cuidadores, a fim de proporcionar uma intervenção personalizada para cada criança.

Dessa forma, temos duas ferramentas próprias e exclusivas para garantir que tanto nosso time de terapeutas, quanto as pessoas cuidadoras tenham as informações que precisam:

  • Painel clínico — um painel interno para concentração de todos os dados dos nossos casos, nele o terapeuta consegue conversar de forma multidisciplinar com outras pessoas clínicas e armazenar informações importantes sobre o desenvolvimento da criança.
  • Aplicativo Genial O aplicativo da Genial Care é um produto desenvolvido pelo time de tecnologia em conjunto com os profissionais clínicos cujo objetivo é auxiliar cuidadores de crianças com autismo que realizam intervenções em nossas clínicas.

Assim, a coleta e análise de dados se torna mais precisa, permitindo que os terapeutas ajustem suas abordagens com base em informações concretas. Essas tecnologias também proporcionam uma plataforma para a colaboração entre os profissionais, garantindo um atendimento mais coordenado e eficaz em todas as etapas da jornada.

Colaboração multidisciplinar e crescimento profissional do terapeuta em uma healthtech

time corporativo genial care conversando

Uma das grandes vantagens de trabalhar em uma startup é a oportunidade de colaborar com profissionais de diversas áreas. No caso dos terapeutas, essa multidisciplinaridade é muito enriquecedora, já que possibilita a troca de conhecimentos e experiências com terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, psicólogos e outros especialistas.

Essa colaboração promove crescimento profissional significativo e exponencial, ampliando as habilidades e expandindo a visão sobre as intervenções e estratégias terapêuticas que podem ser aplicadas ao longo do desenvolvimento infantil.

“Sempre estão em busca de como podemos realizar melhor os nossos atendimentos, cada dia que passa temos novidades e como somos de três áreas que juntos conversamos igualmente mostra que em breve podemos ampliar mais especialistas como Neuropsicologia, Psicopedagogia, Nutricionistas e entre outros”, aponta Ketlin.

Suellen conta sobre como a experiência ajuda na quebra de paradigmas, tanto em relação a formas de atuar em ABA, como, por exemplo, em relação ao respeito e a ética.

“Saber que possuo orientadoras e parceiros de atendimento alinhados com os valores da Genial, me faz ter vontade de trabalhar mais, pois é uma atuação respeitosa, dinâmica e divertida, no sentido de que eu tenho liberdade para ‘criar caminhos extraordinários’, de forma literal”.

Em um cenário onde novas ideias são valorizadas, os terapeutas têm a oportunidade de contribuir ativamente com soluções inovadoras. Quando pensamos em troca de novas abordagens, propostas de pesquisa ou até mesmo projetos que possam beneficiar famílias ao longo da jornada, uma healthtech é o lugar ideal para colocar tudo isso em prática.

Em uma startup, a liberdade criativa é incentivada e as contribuições profissionais podem realmente fazer a diferença na vida das crianças com TEA no Brasil. É muito comum nesse modelo de trabalho vermos alguém lançar uma nova perspectiva sobre algo, e isso se tornar um material rico para ser usado e compartilhado.

Ketlin comenta que hoje, diferente de experiências passadas, ela “não vê essa ‘rivalidade de poder’, pelo contrário, vê pessoas motivadas e isso faz ela refletir que em muito em breve pode ajudar no impacto e consegue visualizar crescimento em sua jornada profissional”.

Trabalhar em uma startup implica em enfrentar desafios diários, mas também oferece grandes oportunidades de crescimento profissional.
Com um ritmo mais acelerado e um ambiente dinâmico, uma healthtech com terapeutas permite desenvolvimento de novas habilidades, superação de obstáculos e ampliação da capacidade de adaptação.

Conclusão

Trabalhar como terapeuta em uma healthtech, principalmente no campo do TEA, é uma experiência repleta de desafios, mas com muito propósito e evolução constante.

O dinamismo do setor e a influência da tecnologia tornam essa profissão ainda mais relevante e impactante.

Os terapeutas desempenham um papel vital no desenvolvimento das crianças com autismo, oferecendo apoio e orientação essenciais para o progresso e bem-estar de seus pacientes.

Essa experiência desafiadora contribui para um crescimento profissional mais rápido, uma maior versatilidade e entregas cada vez mais elevadas.

Se você tem interesse em fazer parte do time de terapeutas da Genial Care e viver essa realidade, clique no banner e se cadastre em nossa rede:

Banner sobre a Rede Genial de terapeutas com mulher sentada em um escritório, com um notebook a sua frente.

Conheça nosso atendimento para autismo

Esse artigo foi útil para você?

Por que precisamos do Dia do Orgulho Autista? Conheça o estudo retratos do autismo no Brasil 2023 | Genial Care Dia Mundial do Meio Ambiente: natureza e a interação de crianças TEA Pessoas com TEA tem direito ao Benefício de prestação continuada (BPC)? Cássio usa camiseta com número em alusão ao Autismo Câmara aprova projeto que visa contratação de pessoas autistas Marcos Mion visita abrigo que acolhe pessoas autistas no RS Existem alimentos que podem prejudicar a saúde de pessoas autistas? Escala M-CHAT fica de fora da Caderneta da Criança O que são níveis de suporte no autismo? Segunda temporada de Heartbreak High já disponível na Netflix Símbolos do autismo: Veja quais são e seus significados Dia Mundial de Conscientização do Autismo: saiba a importância da data Filha de Demi Moore e Bruce Willis revela diagnóstico de autismo Lei obriga SUS a aplicar Escala M-chat para diagnóstico de autismo Brinquedos para autismo: tudo que você precisa saber! Dia internacional das mulheres: frases e histórias que inspiram Meltdown e Shutdown no autismo: entenda o que significam Veja o desabafo emocionante de Felipe Araújo sobre seu filho autista Estádio do Palmeiras, Allianz Parque, inaugura sala sensorial Peça teatral AZUL: abordagem do TEA de forma lúdica 6 personagens autistas em animações infantis Canabidiol no tratamento de autismo Genial Care recebe R$ 35 milhões para investir em saúde atípica Se o autismo não é uma doença, por que precisa de diagnóstico? Autismo e plano de saúde: 5 direitos que as operadoras devem cobrir Planos de saúde querem mudar o rol na ANS para tratamento de autismo Hipersensibilidade: fogos de artifício e autismo. O que devo saber? Intervenção precoce e TEA: conheça a história de Julie Dutra Cezar Black tem fala capacitista em “A Fazenda” Dia do Fonoaudiólogo: a importância dos profissionais para o autismo Como é o dia de uma terapeuta ocupacional na rede Genial Care? O que é rigidez cognitiva? Lei sugere substituição de sinais sonoros em escolas do Rio de janeiro 5 informações que você precisa saber sobre o CipTea Messi é autista? Veja porque essa fake news repercute até hoje 5 formas Geniais de inclusão para pessoas autistas por pessoas autistas Como usamos a CAA aqui na Genial Care? Emissão de carteira de pessoa autista em 26 postos do Poupamento 3 séries sul-coreanas sobre autismo pra você conhecer! 3 torcidas autistas que promovem inclusão nos estádios de futebol Conheça mais sobre a lei que cria “Centros de referência para autismo” 5 atividades extracurriculares para integração social de crianças no TEA Como a Genial Care realiza a orientação com os pais? 5 Sinais de AUTISMO em bebês Dia das Bruxas | 3 “sustos” que todo cuidador de uma criança com autismo já levou Jacob: adolescente autista, que potencializou a comunicação com a música! Síndrome de asperger e autismo leve são a mesma coisa? Tramontina cria produto inspirado em criança com autismo Como a fonoaudiologia ajuda crianças com seletividade alimentar? Genial Care Academy: conheça o núcleo de capacitação de terapeutas Como é ser um fonoaudiólogo em uma Healthtech Terapeuta Ocupacional no autismo: entenda a importância para o TEA Como é ser Genial: Mariana Tonetto CAA no autismo: veja os benefícios para o desenvolvimento no TEA Cordão de girassol: o que é, para que serve e quem tem direito Como conseguir laudo de autismo? Conheça a rede Genial para autismo e seja um terapeuta de excelência Educação inclusiva: debate sobre acompanhantes terapêuticos para TEA nas escolas Letícia Sabatella revela ter autismo: “foi libertador” O que é discalculia e qual sua relação com autismo? Rasgar papel tem ligação com o autismo? Quem é Temple Grandin? | Genial Care Irmãos gêmeos tem o mesmo diagnóstico de autismo? Parece autismo, mas não é: transtornos comumente confundidos com TEA Nova lei aprova ozonioterapia em intervenções complementares Dicas de como explicar de forma simples para crianças o que é autismo 5 livros e HQs para autismo para você colocar na lista! Como é para um terapeuta trabalhar em uma healthcare? Lei n°14.626 – Atendimento Prioritário para Pessoas Autistas e Outros Grupos Como fazer um relatório descritivo? 7 mitos e verdades sobre autismo | Genial Care Masking no autismo: veja porque pessoas neurodivergentes fazem Como aproveitar momentos de lazer com sua criança autista? 3 atividades de terapia ocupacional para usar com crianças autistas Apraxia da fala (AFI): o que é e como ela afeta pessoas autistas Por que o autismo é considerado um espectro? Sala multissensorial em aeroportos de SP e RJ 18/06: dia Mundial do orgulho autista – entenda a importância da data Sinais de autismo na adolescência: entenda quais são Diagnóstico tardio da cantora SIA | Genial Care Autismo e futebol: veja como os torcedores TEA são representados MMS: entenda o que é o porquê deve ser evitada Tem um monstro na minha escola: o desserviço na inclusão escolar Autismo e esteriótipos: por que evitar associar famosos e seus filhos Diagnóstico tardio de autismo: como descobrir se você está no espectro? Autismo e TDAH: entenda o que são, suas relações e diferenças Eletroencefalograma e autismo: tudo que você precisa saber Neurodivergente: Saiba o que é e tire suas dúvidas Como ajudar crianças com TEA a treinar habilidades sociais? Prevalência do autismo: CDC divulga novos dados Show do Coldplay: momento inesquecível para um fã no espectro Nova temporada de “As Five” e a personagem Benê Brendan Fraser e seu filho Griffin Neuropediatra especializado em autismo e a primeira consulta Dia da escola: origem e importância da data comemorativa Ecolalia: definição, tipos e estratégias de intervenção Park Eun-Bin: descubra se a famosa atriz é autista Síndrome de Tourette: entenda o que aconteceu com Lewis Capaldi