Covid-19: encontre seu novo normal com uma nova rotina
Tempo de leitura: 4 minutos

Esse texto teve a colaboração de Dinara Souza, Terapeuta Ocupacional, fundadora da MakingSense e colaboradora no ambulatório de Autismo da Unifesp.

Sabemos que estamos em um momento difícil, com muitas mudanças na vida de todos. Mais especificamente, crianças diagnosticadas com TEA terão novos horário e rotina, e, ao mesmo tempo, os pais precisam trabalhar em casa enquanto fazem malabarismos para cuidar das crianças. Pensando nisso, a Genial Care preparou um passo a passo para te ajudar a criar uma nova rotina com seu filho.

1 – Acredite na sua experiência

Se você é pai ou mãe de uma criança diagnosticada com TEA, você sabe mais do que imagina sobre o tratamento do autismo. É importante lembrar que, no final das contas, o TEA é um transtorno que se manifesta principalmente por meio de mudanças na aprendizagem, e ninguém conhece melhor seu filho e como ele aprende do que você. Nesse momento de adaptação, você deve confiar na sua experiência. 

2 – Divida o dia em blocos de tempo

Pense no dia em termos de diversos blocos de tempo. Por exemplo, você pode ter como base a rotina comum de seu filho, que primeiro vai à escola (bloco de tempo um), em seguida tem uma atividade com o Acompanhante Terapêutico (bloco dois), e depois está em casa brincando (bloco três). Essa divisão de blocos pode ser com base em períodos maiores, como manhã, tarde e noite; ou considerando intervalos menores, como entre 15 a 60 minutos com atividades e propósitos específicos. Lembre-se, o relógio é um grande aliado para criar uma nova rotina.

3 – Intercale atividades preferidas e não preferidas

Crianças com autismo costumam notar padrões. Ao oferecer algo desejável após uma tarefa não tão divertida, você suaviza a expectativa construída pela criança de que algo positivo se sucederá. Assim, uma tarefa específica pode se tornar um indício de que algo divertido acontecerá em seguida. Por exemplo, pode-se combinar um tempo livre para se divertir com um brinquedo após uma tarefa doméstica que envolva maior esforço da criança.

4 – Mostre a rotina de uma forma visual

Junto com seu filho(a), escolha uma maneira visual de representar a rotina que você está imaginando. Pode ser uma boa ideia criar algumas opções de imagens relacionadas à atividade em questão e deixar que seu filho(a) escolha a imagem preferida. Para crianças maiores, uma simples fileira de post-it feita a mão também pode funcionar, experimente. Lembre-se , o envolvimento de seu filho(a) e a possibilidade dele(a) participar da construção dessa rotina pode fazer a diferença! 

5 – Utilize um timer ou outras referências para manter a programação

Utilizar um timer pode ser uma ótima estratégia para engajar a criança nas suas atividades e manter a rotina esperada. Outra solução é aproveitar o final de um vídeo ou o despertar de um cochilo, por exemplo, para facilitar a transição para uma nova atividade programada.

E não se esqueça: inclua atividades de autocuidado na sua rotina

Cuidar de você deve fazer parte do seu dia. Conciliar demandas do trabalho remoto, ou falta de emprego, ensino à distância e cuidados da casa e do seu filho(a) pode transformar radicalmente a dinâmica da sua casa e impactar sua saúde mental e física. Programe um horário todos os dias para fazer algo que te recarregue: uma meditação, oração, ler um livro, ou fazer um hobby preferido ou simplesmente uma atividade que te faça bem. Além disso, manter seu sono em dia é crucial para evitar o estresse ou outros desconfortos.

Com esses 6 passos, você já pode começar a implementar uma nova rotina com seu filho. Se algum dia, a rotina sair um pouco do planejado, fique tranquilo(a), isso é normal em momentos de mudança e o importante é todo dia buscar melhorar e adaptar essa novo normal no nosso dia a dia.

Agradecemos às contribuições da ACES para esse artigo.

Você pode se interessar também:

Conheça a voz de Kmylla

Kmylla só recebeu o diagnóstico de autismo aos 27 anos. Agora, compartilha com outras pessoas seu modo diferente de pensar e agir, além de conscientizar sobre o tema.