Autismo e problemas para dormir: cuidados essenciais

É muito comum que crianças diagnosticadas com autismo tenham dificuldades para dormir à noite. Estudos demonstraram que até 80% das crianças com TEA têm dificuldades para dormir, o que faz com que o período noturno se torne estressante para muitas famílias.

Veja nesse texto como criar uma nova rotina de sono em 4 passos

Diagnosticar e tratar corretamente os problemas do sono em indivíduos com TEA é essencial, pois podem agravar os sintomas associados como desatenção, irritabilidade, hiper responsividade sensorial, além de comorbidades médicas, como problemas gastrointestinais e epilepsia.

Para te ajudar, separamos alguns cuidados para criar um ambiente mais favorável ao sono. Com base nessas recomendações, é importante que você pense quais mudanças são possíveis para construir uma rotina de sono saudável para sua filha(o).

Cuidados gerais

O quarto da criança deve ser propício ao sono. Isso quer dizer um ambiente quieto, com uma temperatura agradável e pouca luz. Eletrônicos como TV, iPad ou videogame não devem estar ligados durante o período de dormir.

Lidando com barulhos e ruídos

Barulhos domésticos comuns, como a TV ligada ou a água corrente no banheiro podem afetar o sono de uma criança diagnosticada com TEA (hipersensibilidade sensorial). Caso não seja possível evitar esses barulhos, uma sugestão é criar sons mais confortáveis para chamar a atenção da criança, e assim, fazer com que ela não se incomode com o barulho original. Normalmente esse novo som é chamado por ruído branco. Pode ser o som de um ventilador de teto, de um purificador de ar ou mesmo o som de um instrumento tocado no seu celular.

Incômodos com a textura do lençol ou pijama

Muitas crianças podem apresentar desconforto com a textura da roupa de cama ou do pijama. É importante escolher um pijama confortável e com poucas estampas. Caso sua filha(o) já seja maior, escolha junto com ela(e) o pijama e lençol mais gostoso.

Alimentação antes de dormir

Antes de dormir, evite alimentos e bebidas muito calóricas ou com cafeína. Refrigerantes ou doces muito gordurosos podem despertar a criança e dificultar a rotina do sono.

Atividade tranquilas antes de dormir

É importante que a criança não faça atividades muito intensas antes de dormir. Brincadeiras muito agitadas ou que demandem muito exercício físico devem ser evitadas, assim como brincar com celular, tablet, televisão ou videogame. O Ideal é evitar essas atividades no mínimo 30 minutos antes da hora de dormir.

Impacto de medicamentos

Alguns medicamentos podem interferir no sono da criança. Se seu filho estiver tomando algum remédio, recomendamos que você consulte o médico sobre possíveis efeitos colaterais. Muitas vezes, mudar hora de tomar o remédio já pode ajudar. Em relação a medicamentos para dormir, só devem ser utilizados se recomendados pelo médico.

Com base nessas recomendações, quais mudanças são possíveis para criar uma rotina de sono para seu filho(a)? E lembre-se, este é um problema comum em crianças diagnosticadas com autismo, e, caso a dificuldade de dormir permaneça, é importante envolver uma equipe clínica para te ajudar.

Veja nesse texto como criar uma nova rotina de sono em 4 passos

Esse texto foi adaptado do Parent Training for Disruptive Behavior: The RUBI Autism Network, Clinician Manual, publicado pela Oxford University Press